Costa do Mediterrâneo

Engana-se quem pensa que Israel é composto apenas por desertos e pelas colinas verdejantes da Galiléia. Uma boa parte da sua fronteira ocidental é composta por uma fértil planície banhada pelo quente e azulado mar Mediterrâneo. Esta faixa litorânea, que recebe constantes chuvas, foi povoada a mais de 4 mil anos e nela floresceram várias cidades, algumas das quais permanecem habitadas até hoje. Leia Mais

Mar da Galileia

A Galiléia é o segundo destino turístico mais visitado de Israel, logo após a capital do país, Jerusalém. Esta região é muito mencionada na Bíblia e foi aqui que Jesus passou boa parte de sua vida e ministério. Leia Mais

Vale do Rio Jordão

O vale do rio Jordão é um dos lugares mais belos de Israel. Ele nasce no norte do país, atravessa sua costa oriental e marca parte da fronteira com a vizinha Jordânia. Suas águas abastecem o Mar da Galiléia, e desembocam no Mar Morto, a leste do deserto da Judéia. Quer conhece o rio Jordão, região onde Jesus passou boa parte de sua vida? Então, Viaje Comigo! Leia Mais

Jerusalém

Israel é um país de grande herança histórica e cultural, palco de acontecimentos que mudaram o mundo e influenciaram toda a cultura ocidental. Localizado em uma região que une naturalmente a África, Ásia e Europa, a “Terra dos Judeus” sempre foi um local visitado por exploradores, comerciantes e conquistadores. Persas, Romanos, Bizantinos, Otomanos e cavaleiros cruzados deixaram aqui suas marcas, ora construindo grandes monumentos, ora destruindo ícones do passado. Independente de sua fé e de sua religião, visitar Israel é compreender um pouco sobre os acontecimentos que mudaram nossa  forma de ver o mundo.

 

Jerusalém é a capital de Israel, e uma das cidades mais antigas do mundo. Possui cerca de um milhão de habitantes e sua ocupação urbana ultrapassou em muito os limites dos seus antigos muros. Seus habitantes são compostos principalmente por Judeus e Árabes, assim como acontece no restante do país. É uma cidade cosmopolita, cheia de vida e contrastes. Nela se misturam o antigo e o moderno. O secularismo com a religião.

Jerusalém está situada no limite entre o deserto da Judéia ao leste e as encostas verdes que descem em direção ao mar mediterrâneo ao oeste. Por estar em um lugar estratégico, sempre foi um alvo a ser alcançado por vários impérios e reinos. Já foi sitiada, conquistada, destruída e reconstruída inúmeras vezes.  É também considerada como território sagrado por três importantes religiões e continua sendo disputada por judeus e palestinos.

A história antiga de Israel e do inicio do cristianismo está espalhada por todos os cantos da cidade. Ruínas antigas, cemitérios milenares, igrejas e capelas, se espremem por entre vielas que permanecem inalteradas por mais de dois milênios. A história está em toda parte, mas é especialmente reunida em dois importantes museus. Um deles é o Museu de Israel, fundado em 1965. Ele é dividido em várias galerias que misturam peças arqueológicas, com pinturas de grandes mestres e arte moderna. Uma das áreas mais visita é a gigantesca maquete da Jerusalém do tempo de Jesus. Ela reproduz em detalhes as construções existentes na cidade ha 2 mil anos.  Outra galeria muito popular é o Santuário do Livro, onde estão guardados os preciosos Manuscritos do Mar Morto. Os Manuscritos são compostos pode centenas de pergaminhos descoberto nas cavernas de Qumram, nas margens do Mar Morto a partir de 1947. Nele estão preservados algum dos textos mais antigo da bíblia, alguns com mais de dois mil anos de idade. Outro lugar que merece uma visita é o Museu do Holocausto. Construído em concreto, na forma de um longo triângulo, este museu homenageia as vítimas do Holocausto através de fotos, vídeos e objetos da época. Uma de suas alas impressionantes é a Sala dos nomes, construída para lembrar os mais de 6 milhões de judeus mortos neste hediondo momento da história. Ali, fotos de centenas de vitimas estão expostas sobre um cone duplo, um projetado para o céu e outro para a terra. Um lugar que mexe com as emoções dos visitantes.

Jerusalém tem quase 6 mil anos e por isso, possui tesouros arqueológicos espalhados por toda a cidade. Um destes tesouros é conhecido como a Cidade de Davi. Neste sítio de escavações, que continua em plena atividade, foram descobertas as ruínas do palácio do famoso rei David, o segundo rei de Israel. Debaixo do palácio, foram descobertos dois túneis usados para abastecer de água a cidade murada quando ela era sitiada. Um deles, conhecido como Túnel de Ezequias, pode ser visitado e percorrido em toda a sua extensão. Tem mais de 500 metros e foi escavado na pura rocha, com a inclinação exata para abastecer a piscina de Siloé, local onde Jesus realizou um dos seus milagres.

Nem todos os lugares históricos estão dentro de Jerusalém. Belém, a cidade de nascimento de Jesus fica a 10 quilômetros de distância. Ela está dentro de uma área ocupada por Israel desde 1967 chamada Cisjordânia. A cidade é cercada por um grande muro que restringe a livre circulação dos palestinos em Israel, mas não impede à visita de turistas a região. Dentro de Belém pode-se caminhar com segurança e liberdade. O seu maior atrativo é a Igreja da Natividade. Ela foi erguida sobre uma gruta que, segunda a tradição, foi o local do nascimento de Jesus. A gruta é muito pequena e para chegar até ela é necessário enfrentar uma fila que pode demorar até duas horas. É um dos locais mais visitados pelos peregrinos e turistas.

Outro local muito visitado é o Monte das Oliveiras, uma colina situada em frente à parte antiga de Jerusalém. Segundo a Bíblia, foi dali que Jesus ascendeu ao céu. Hoje, a colina ainda preserva seus olivais, embora boa parte deles tenha sumido para dar lugar a um bairro árabe e a um imenso cemitério judeu. Nas encostas que ficam de frente para Jerusalém, as torres de algumas igrejas se sobressaem por cima do verde bosque. Isto é bem comum não só em Jerusalém, como também em todo Israel. Os lugares considerados sagrados foram ocupados  por igrejas, mesquitas e sinagogas. Independente de sua religião, vale a pena conhecê-las e apreciar suas arquitetura e história. Umas delas é a igreja Dominus Flevit, que marca o local onde Jesus profetizou que Jerusalém seria destruída. Outra é a igreja de Todas as Nações, também conhecida como Igreja da Agonia. Ela está ao lado do Getsêmani, jardim de oliveiras onde Jesus passou sua última provação.

A cidade antiga é certamente o ponto mais visitado de Jerusalém. Esta área de apenas 1 km² esta cercada por muros otomanos, erguidos no século 16. A cidade antiga é divida em quatro bairros, a saber: Cristão, Judeu, Árabe e Armênio. Cada um deles tem características próprias em termos de arquitetura, cultura e gastronomia. É preciso caminhar pelas suas ruas e vielas para se entender sua complexidade e apreciar sua beleza.  Embora toda a cidade antiga seja interessante, alguns lugares são mais concorridos devido a sua história e importância religiosa. Um deles é a Via Sacra ou Via Dolorosa. Este trajeto abrange várias ruas e marca o percurso feito por Jesus desde sua condenação até sua morte e sepultamento. Nele existem 14 estações, marcadas por igrejas e capelas. A igreja do Santo Sepulcro é uma delas. Por marcar o lugar onde Jesus foi sepultado é uma das mais visitadas e onde se vêem as maiores expressões de fé.

O outro lugar muito visitado dentro da antiga Jerusalém é o Muro das Lamentações, lugar sagrado para o Judaísmo.  O muro das lamentações é na verdade parte dos fundamentos do antigo templo. Nele os judeus se reúnem diariamente para adora e pedir. O muro é divido em duas partes, uma separada para as mulheres e outra para os homens. Muitos visitantes de outras religiões também freqüentam este lugar e deixam nas fendas das antigas rochas seus pedidos e orações.

Como você pode perceber Jerusalém é um lugar complexo e encantador. Séculos de história se misturam com ícones religiosos, fazendo desta cidade um dos lugares mais interessantes da terra. Visitar Jerusalém é uma oportunidade única de entender um pouco da nossa própria história e dos conflitos que abalaram e ainda sacodem o nosso mundo. Recomendo ficar de 3 a 4 dias nesta cidade e aproveitar para conhecer também outros atrativos na região.

Conheça nossos Pacotes de Viagens para Israel.

Peter Goldschmidt

* Peter é membro da Família Goldschmidt que desde 1999 viaja pelo mundo descobrindo e divulgando novos roteiros turísticos. É também diretor da agência de turismo Gold Trip – www.goldtrip.com.br  –   Fone: (11) 4411-8254

 

Jeruslem - Orações no Muro das Lamentações Jerusalem - Saida do Tunel de Ezequias
Jerusalem - Rua da Cidade Antiga Jerusalem - Religioso
Jerusalem - Gruta da natividade Jerusalem - Café no bairro árabe
Jerusalem - Muro das Lamentações Jerusalem - Igreja da Agonia
Jerusalem - Domo da Rocha Jerusalem - Santuário do livro
Jerusalem - Idiomas de Israel

 

 

 

 

 

 

Página original: http://www.goldtrip.com.br/viaje-comigo-israel-jerusalem/

Vídeos Israel

Os vídeos Israel mostram como este país é muito mais que um destino para peregrinos e religiosos. Tambem é um país de grande herança histórica e cultural, palco de acontecimentos que mudaram o mundo e influenciaram toda a cultura ocidental. Conhecida como a “Terra dos Judeus”, sempre foi visitada por exploradores, comerciantes e conquistadores vindos de diversos pontos, tais como: romanos, persas, otomanos, bizantinos e cavaleiros cruzados. Em comum, todos eles deixaram por lá suas marcas, ora construindo grandes monumentos, ora destruindo ícones do passado.

 JERUSALÉM

 

 VALE DO RIO JORDÃO

 GALILÉIA

 

 MEDITERRÂNEO

Passeios em Israel

A capital de Israel e uma das cidades mais antigas do mundo. Possui cerca de um milhão de habitantes e sua ocupação urbana ultrapassou em muito os limites dos seus antigos muros. Seus habitantes são compostos principalmente por Judeus e Árabes, assim como acontece no restante do país. É uma cidade cosmopolita, cheia de vida e contrastes. Nela se misturam o antigo e o moderno, o secularismo e a religião. Está localizada no limite entre o Deserto da Judéia e as encostas verdes que descem em direção ao Mar Mediterrâneo. Por estar em um lugar estratégico, sempre foi um alvo a ser alcançado por vários impérios e reinos; já foi sitiada, conquistada, destruída e reconstruída inúmeras vezes. É também considerada território sagrado por três importantes religiões e continua sendo disputada por judeus e palestinos. A história antiga de Israel e do início do cristianismo está espalhada por todos os cantos da cidade. Ruínas antigas, cemitérios milenares, igrejas e capelas, se espremem por entre vielas que permanecem inalteradas por mais de dois milênios. Visitar Jerusalém é uma oportunidade única de entender um pouco da nossa própria história e dos conflitos que abalaram e ainda sacodem o nosso mundo.

A partir de Jerusalém você pode fazer diversos passeios de um dia, visitando a própria cidade e atrativos próximos. E devido ao seu clima, podem ser feito visitas o ano todo. De lá também saem opções de excursões de mais dias para a Galiléia (ao norte), a costa do Mediterrâneo, o Deserto de Negev (ao sul) e até para a vizinha Jordânia (onde estão Aman e Petra). Estes passeios são em grupo e incluem guias formados e autorizados pelo Ministério de Turismo de Israel, nos idiomas inglês ou espanhol. Os ônibus passam nos hotéis buscando os turistas e os trazem de volta no final do dia.

Os passeios são em grupo, com guias em em Espanhol ou Inglês. Neles, o ônibus passa nos hotéis para buscar os turistas assim como retorna para os mesmos hotéis no final do dia. Os preços incluem guia formado e autorizado pelo Ministério de Turismo de Israel e entradas em todos os lugares citados no programa.

Israel

 Jerusalém – Cidade Velha e nova (museus)

O dia começa com uma visita a Cidade Velha passando  pelo “Cardo”, o Bairro Judeu, o Muro das Lamentações, a Via Dolorosa e a Igreja de Santo Sepulcro. Continua o Monte de Sião onde visita a Tumba do Rei David, o Cenáculo e Dormicion. À tarde visita ao Museu do Holocausto Yad Vashem e o Museu de Israel, onde está a Maquete de Jerusalém do tempo de Jesus.

Jerusalém – Belém e Monte das Oliveiras

Uma ótima dica é visitas aos monte das oliveiras e seus principais atrativos como mirante da cidade, jardim do Getsamani e igreja de Todas as Nações.

Viagem para Belém (10 kms) para visitar a Igreja de Natividade onde esta a gruta onde nasceu Jesus. Caminhada por Belém.

Massada, Mar Morto

Passeio de uma dia através do Deserto da Judéia até o vale do rio Jordão. Visita ao monte/fortaleza de Massada e visita as ruínas dos palácios de Herodes, o grande. Passeios nas margens no Mar Morte e para no espaça. Tempo para banho no mar morto. O tour inclui uma parada em uma fábrica de cosméticos que usa a água e o sal do mar Morto em suas formulas.

Israel

Cesaréia, Haifa, Aco e Rosh Hanikrá

Passeios viajando Planície Costeira de Israel para Cesaréia onde visitaremos as ruínas cruzadas e o Teatro Romano. Continuação para Haifa e sua vista panorâmica da sua baía. A próxima parada é Rosh Hanikrá onde visitaremos as grutas e veremos a fronteira com o Líbano. Retornando pela costa mediterrânea, chegaremos à Akko visitando a cidade Cruzada subterrânea. Passearemos pela Cidade Velha onde se encontram o Mercado Oriental, a Mesquita Árabe e o Antigo Porto.

Galiléia – Nazaré, Capernaum e Rio Jordão

Viagem rumo ao norte até Nazaré onde visita-se a Igreja da Anunciação. Continuação até  Cana da Galiléia (milagre do vinho) e  Capernaum, às margens do Mar da Galiléia. Visita Tabgha, a Igreja da Multiplicação dos Pães e dos Peixes. Seguiremos via Tecerias para Yardenit, o local de batismo no Rio Jordão. Visita ao mar da Galiléia com opção de navegação em barco turístico.

Passeios em Tel Aviv:

Foi a primeira cidade judia moderna construída em Israel e é seu centro econômico e cultural. É uma cidade viva, com entretenimento, cultura, arte, festivais e uma vida noturna ativa.  Situada em uma faixa de 14 quilômetros de comprimento no litoral do Mediterrâneo, Tel Aviv se estende além do Rio Yarkon (ao norte) e o Rio Ayalon (ao leste). Centenas de milhares de trabalhadores e visitantes em busca diversão circulam pela cidade todos os dias, inclusive até as primeiras horas da manhã. Foi em Tel Aviv – em 14 de maio de 1948 – que David Bem-Gurion declarou a independência do Estado de Israel.

Atrativos que você pode visitar durante sua estada em Tel Aviv:

Cidade Antiga (Old Jafa).

Casa de Ben-Gurion (personagem histórico para o país, quem declarou a independência do Estado de Israel).

Marina (Tel Aviv Port).

Rothschild Avenue (Independence Hall), casa histórica onde a independência de Israel foi declarada.

Bairro Bauhaus (Cidade Branca), com uma abrangente variedade de estilos arquitetônicos.

Azrieli Tower (vista panorâmica).

 Bairro de Neve Tzedek.

Universidade de Tel Aviv.

Praia de Gordon-Frishman.

 

Dicas para Israel

Bandeira - IsraelMoeda e Câmbio em Israel: A moeda do Estado de Israel é o Novo Shekel de Israel (NIS), ou apenas “shekel”. As cédulas são encontradas em notas de 20, 50, 100 e 200; e as moedas são de 10, 5, 2, 1 shekels. Existem caixas automáticos (ATM) na parte de fora da maioria dos bancos, onde os visitantes podem fazer saques com cartões de crédito internacionais. Moedas estrangeiras de todos os tipos podem ser trocadas nos aeroportos, bancos e correios, na maioria dos hotéis ou agências de câmbio autorizadas nas grandes cidades.

Fuso Horário em Israel: O fuso horário é de 5 horas a mais em relação ao horário de Brasília (4 durante o horário brasileiro de verão).

Vacinas Necessárias: Não há nenhuma vacina obrigatória, no entanto recomendamos sempre ter o certificado de vacina contra a Febre Amarela. A vacina deve ser tomada nos postos de saúde de sua cidade com 10 dias de antecedência à data de embarque e será emitido certificado nacional. Recomendamos que seja feito contato com os postos de atendimento ao viajante da ANVISA localizados nos aeroportos ou através do site http://www.anvisa.gov.br/viajante/ para maiores informações na data próxima a sua viagem para obter informações atualizadas sobre o assunto e sobre a necessidade de emissão do certificado internacional.

– Posto do Viajante Aeroporto Guarulhos:  (11) 2445-4435
– Posto do Viajante Aeroporto Congonhas:  (11) 5090-9228
– Posto do Viajante Aeroporto Galeão:  (21) 3398-2377 / 2108

Visto e Documentos:  Brasileiros não necessitam de visto para entrar no país, apenas passaporte com validade mínima de 6 meses. Na chegada a Israel, os visitantes passam por uma checagem de segurança onde deve ser apresentado o passaporte e os formulários de entrada preenchidos com seus dados pessoais.  É importante certificar-se de que os dados sejam preenchidos com exatidão, e manter uma cópia do formulário para apresentá-lo na saída de Israel. Na saida de Israel a segurança é mais rigorosa que na chegada, com várias verificações da bagagem e entrevista feita pelos agentes de segurança. Recomendamos chegar ao aeroporto com no mínimo 3 horas de antecedência e munido de muita paciência.

Estrangeiros residentes no Brasil devem apresentar RNE original e Passaporte; também é indispensável verificar se Israel exige visto de seu país natal


 Vestuário em Israel

IsraelEm Israel faz muito frio no inverno, e mesmo nas noites de verão em alguns lugares é necessário um agasalho leve. Leve calçados confortáveis para caminhar, capa de chuva e roupa de agasalho para as regiões de montanha, e também traje de banho para as visitas aos balneários termais do Mar Morto e Tiberíades, e também para Eilat. É conveniente levar uma mochila para ser usada nas excursões. No clima quente do verão não se esqueça de levar chapéu, protetor solar e óculos de sol. Lembre-se que nos lugares religiosos não está permitida a entrada com short ou roupas sem manga.

___________________________________________

Eletricidade em Israel

A corrente elétrica da região é de 220 volts. A maioria das tomadas possui buracos de três pinos, mas também aceita o plug europeu de 2 pinos. Como não há uma padronização mundial para tomadas, é recomendável levar um adaptador universal padrão.

Telefonia e Internet em Israel

Para chamadas internacionais digite:

00 + código do país + código da cidade + n. telefone
O código do Brasil é 55. O código de Israel é 972.
Para telefonar para Israel: 00 + 972 + número de telefone (deve-se eliminar o 0 do prefixo local).

Existem telefones públicos nas ruas principais de todas as cidades que funcionam através de cartões magnéticos (em hebraico “Telecart”), à venda nos correios, supermercados e quiosques. Os cartões são fáceis de serem usados e servem para ligações locais, entre cidades e internacionais. Também existem telefones que são operados por moedas em restaurantes e lojas, mas as taxas cobradas nestes telefones são mais altas que as dos telefones operados por cartões magnéticos. Cabines para ligações internacionais também estão disponíveis em cidades como Jerusalém e Tel Aviv.

Hotspots são conexões locais de rede de internet sem fio (Wi-Fi) que permitem navegar na internet através de computadores pessoais. A maior parte dos hotspots se localiza em lanchonetes e restaurantes no centro de Israel, e estes geralmente não cobram pelo uso da conexão.


 Museus em Israel:

Em Israel a história está por toda parte, mas é especialmente reunida em dois importantes museus. Com garantia são ótimos passeios.

Museu de Israel

Fundado em 1965, é dividido em várias galerias que misturam peças arqueológicas com pinturas de grandes mestres e arte moderna. Uma das áreas mais visitadas é a gigantesca maquete da Jerusalém do tempo de Jesus. Ela reproduz em detalhes as construções existentes na cidade há 2.000 anos. Outra galeria muito popular é o Santuário do Livro, onde estão guardados os preciosos Manuscritos do Mar Morto. Os Manuscritos são compostos por centenas de pergaminhos descobertos nas cavernas de Qumram, nas margens do Mar Morto a partir de 1947. Nele estão preservados alguns dos textos mais antigos da Bíblia, alguns com mais de 2.000 anos de idade.

Museu do Holocausto (Yad Vashem)

Construído em concreto, na forma de um longo triângulo, este museu homenageia as vítimas do Holocausto através de fotos, vídeos e objetos da época. Uma de suas alas mais impressionantes é a Sala dos Nomes, construída para lembrar os mais de 6 milhões de judeus mortos neste hediondo momento da história. Ali, fotos de centenas de vítimas estão expostas sobre um cone duplo, um projetado para o céu e outro para a terra. Um lugar que mexe com as emoções dos visitantes.

Comendo em Israel:

A comida em Israel é tão diversificada quanto sua população, um conceito que envolve muitas tradições culinárias e matérias-primas locais. Alguns dos pratos mais conhecidos que você encontrará são o Falafel – é comum encontrá-lo em quase todas as esquinas, feito de bolinhas fritas de grão de bico e algumas especiarias, vendido em pão pita (pão sírio), com verduras e legumes frescos; a Shawarma – carne (de carneiro ou peru) grelhada lentamente em um espeto giratório, servida no pão pita; o Humus – pasta feita de grão-de-bico cozido e esmagado com tehine (pasta de gergelim), a forma típica de comê-lo é “enxugá-lo” com pão pita (como se fosse um pano absorvendo água). Muitos restaurantes possuem cardápio em inglês; os que não possuem, normalmente tem um garçom que fala e poderá explicar. A maioria dos restaurantes e bancas está aberta desde o período da manhã até de noite.

Transporte em Israel

Israel é um país pequeno, por isso é fácil ir de um lugar a outro em um espaço de tempo relativamente curto.  O transporte público é conveniente e você pode chegar a quase qualquer destino por um preço razoável.

IsraelOs ônibus são a forma de transporte público mais popular de Israel, tanto para o transporte local quanto para as viagens entre cidades. O preço para todas as linhas de ônibus é razoável, os ônibus são confortáveis (geralmente têm ar-condicionado) e há um serviço regular e frequente. A maior parte das linhas não funciona no Shabát (sábado) e nas festas judaicas.  O serviço termina na sexta-feira à tarde e reinicia no sábado à noite..

A empresa Israel Railways opera um serviço de trens conveniente e barato. Todos os trens possuem um vagão bar e é necessário reservar assento. A rede ferroviária israelita é limitada, existem três linhas:

Todos os táxis têm taxímetro e são obrigados a usá-lo. Podem ser pedidos por telefone ou parados nas ruas, acenando com a mão. As tarifas noturnas custam 25% a mais que as tarifas normais. Essas tarifas também são aplicadas para o Shabát (sábado) e os feriados.


 Horários Comerciais em Israel

Comércio: a maioria das lojas está aberta de segunda a quinta das 9h00 às 19h00. Lojas que fecham para um descanso entre as 14h00 e 16h00 possuem seu horário de funcionamento afixado ao lado da porta. Em algumas cidades, fecham às terças à tarde. As Israellojas fecham ao meio-dia às sextas e reabrem no domingo de manhã. Em vésperas de feriados judaicos, as lojas fecham no meio da tarde e permanecem fechadas durante todo o feriado. Shopping Centers que não atendem à população religiosa estão abertos aos sábados. Comerciantes muçulmanos normalmente fecham às sextas (dia sagrado para a Comunidade Muçulmana), e comerciantes cristãos fecham aos domingos.

Cafés e Restaurantes: aqueles que não servem comida kasher, normalmente estão abertos aos sábados.

Compras em Jerusalém:

Em Jerusalém você pode comprar ornamentos feitos de madeira, conchas, couro, palha, vidro e roupas típicas. A feira anual de arte “Khutsot ha – Yotser” oferece trabalhos criados por artistas prestigiados e populares. Existem mercados de fazendeiros e agricultores na Colônia Alemã e nos moshavim nos arredores da cidade. O centro da cidade está repleto de cafés e lojas que vendem presentes e lembranças de viagem.

Compras em Tel Aviv:

Tel Aviv tem ruas inteiras de lojas dedicadas a itens específicos como condimentos, roupas, tecidos, móveis, presentes originais, acessórios de moda, e diversas galerias. Além de ruas mais específicas como Dizengoff, Shenkin, Herzl, Nakhlat Binyamin e Levinsky, existem feiras de arte quinzenais em Nakhlat Binyamin (no centro da cidade) e exposições de artesanato ao redor da zona portuária. Também uma feira anual de alimentos chamada “Ta’am ha-Ir” (Sabor da Cidade, normalmente no mês de maio) onde você pode experimentar uma amostra da grande variedade de comidas que estão disponíveis nos restaurantes de todo o país.

Gorjetas em Israel

Em Israel costuma-se dar gorjetas principalmente em restaurantes. Quando o serviço não está incluído na conta, uma gorjeta de 12% deve ser acrescida ao pagamento. Em hotéis, algumas pessoas dão gorjeta ao carregador de bagagem ou a qualquer outro tipo de serviço. Motoristas de táxi em geral, não recebem gorjeta.

Embaixada do Brasil em Tel Aviv

Rua Yehuda HaLevi, 23,  30o andar
Tel Aviv – 65136

http://telaviv.itamaraty.gov.br/pt-br/

Tel.: (+9723)/(03) 797-1500

Atendimento ao público – Setor Consular:
Segunda a quinta-feira: 9h00 às 13h00
Sexta-feira: 9h00 às 12h30

VAT em Israel

O VAT (Valor de Imposto Agregado) de 15.5% é adicionado a todas as vendas e serviços, e incluído no preço. Os turistas são isentos dos pagamentos do VAT para os seguintes serviços: hospedagem em hotéis, albergues, áreas de acampamento e serviços de acompanhamento, excursões organizadas, aluguel de automóveis (com ou sem guia-motorista), vôos feitos por companhias aéreas locais, cruzeiros, refeições fornecidas por operadores de turismo durante as excursões, refeições servidas em restaurantes de hotéis que estão incluídas no preço do hotel, hospitalizações, participação em convenções de 50 turistas ou mais, direitos de uso para áreas de exposições e serviços de acompanhamento. Todas as compras e serviços na cidade de Eilat estão isentas do VAT.

 

Clima de Israel

Melhor época para visitar Israel

Israel está localizado em uma região subtropical e possui verões quentes, longos e secos (abril a outubro), sendo os meses mais quentes da estação julho. Contudo, sua posição entre um mar e um deserto – e influências mais pontuais como altitude e a distância do mar – faz de Israel um país com clima variado, oferecendo aos turistas a opção de esquiar no Monte Hermon, ou nadar na Baía de Eilat mesmo durante o inverno.

Israel é a terra do sol brilhante, as quantidades de luz e de radiação estão entre as mais elevadas do mundo. Por isso, a dica é andar sempre com protetor solar.

As chuvas são relativamente fortes no norte e no centro do país, e muito mais fracas no norte do Neguev, região com um clima semidesértico contínuo.

Israel no Verão ( Junho e Agosto): Por estar no hemisfério norte, o verão É intenso e seco.

Israel no inverno ( Novembro a Março):  Geralmente é ameno e mais úmido, e a maioria das chuvas cai em dezembro, janeiro e fevereiro. O tempo é seco e mais fresco em regiões mais altas, como Jerusalém e Safed.

Israel na Primavera e no Outono ( Setembro a novembro, e de Abril a Junho: Podem ocorrer ventos quentes e secos que elevam bastante a temperatura. As temperaturas são agradáveis e há menos chuvas, o que torna o clima ideal para ir à praia ou fazer passeios nas regiões do deserto.

Israel


Clima por região

Costa (Tel Aviv e Haifa): verões úmidos e invernos amenos.

Montanhas (Jerusalém): verões secos e invernos moderadamente frios, com quedas de neve ocasionais. O clima nas regiões montanhosas do norte é mediterrâneo e chuvoso, enquanto as regiões do sul são de clima desértico.

Vale do Jordão: verões quentes e secos, e invernos agradáveis.

Norte e Sul de Israel: possuem clima desértico com tempo quente e seco e diferenças substanciais de temperatura entre o dia e a noite.


Média Climática anual em graus centigrados

 

 

medias-de-temperatura-em-israel-por-mes

Gráfico de temperatura – Israel