Vídeos Istambul

Istambul é fantástica, uma mistura de passado e futuro, oriente e ocidente. Altos e modernos edifícios se misturam com palácios, muralhas milenares e mesquitas. Só em Istambul são mais de duas mil. A maioria da população é muçulmana, mas convive muito bem com as minorias cristãs e judias. Aprenda mais sobre este incrível destino nos Vídeos Istambul.

 ISTAMBUL 

Dicas para Istambul

Bandeira - Turquia

[rev_slider anuncioistambul]

Idioma: Turco. Nos pontos turísticos fala-se Inglês, Alemão, Italiano, Japonês, Espanhol e outros idiomas.

Visto: Brasileiros não precisam de visto (apenas passaporte com validade mínima de 6 meses).

Vacina: Não é necessária nenhuma vacina.

Moeda: Lira Turca, disponível em notas de 5, 10, 20, 50 e 100 e moedas de 1, 5, 10, 25 e 50. Há casas de câmbio em todos os aeroportos internacionais. O cartão de crédito é aceito na maioria dos pontos comerciais, restaurantes e hotéis. Normalmente, os estabelecimentos também aceitam dólar e euro.

Fuso horário: + 5 horas

Código telefônico: 90

 A rua mais famosa de Istambul:

A Istiklal é a rua mais frequentada de Istambul e de toda a Turquia. É fechada ao transito de veículos e os seus 3 quilômetros de extensão abrigam lojas, restaurantes e cafés, abertos praticamente 24 horas por dia. Por este caminho passam, todos os dias, cerca de 1 milhão de pessoas. Ela começa na praça Taksim, o centro comercial de Istambul e segue em direção a Torre Gálata, um dos cartões postais da cidade. A rua é super segura e você pode caminhar por ela de dia ou de noite. Sugiro explorar também as pequenas vielas adjacentes repletas de bares alternativos e pequenos restaurantes. Se tiver tempo, suba até o alto da Torre Gálata onde há um mirante com a melhor vista da cidade e um pequeno restaurante. Para quem se cansar, existe um bonde que faz o percurso de uma ponta a outra. Vale a pena! Istambul possui um clima variado durante o ano, o inverno é chuvoso e o verão seco e quente, mas é um ótimo destino em qualquer época.

Transporte em Istambul:

Istambul Comparada com o Brasil, a Turquia pode ser considerada um país pequeno e com distâncias menores – é possível atravessá-lo de norte a sul em aproximadamente 1 hora. Em Istambul há opções de transporte aquático para atravessar o Bósforo, e também para ir para outras cidades que margeiam o Mar de Mármara. Os táxis são fáceis de identificar (todos são amarelos) e contam com taxímetro. Quando você vai para fora dos limites da cidade, o mais comum é combinar uma tarifa fechada com o taxista. A carteira de motorista brasileira é normalmente aceita e é muito fácil alugar um carro na Turquia. A direção fica no lado esquerdo, como no Brasil, e as estradas são muito boas. Atenção – o trânsito em Istambul é quase caótico. Há diversas empresas de ônibus intermunicipais que fazem as viagens entre as cidades, as empresas geralmente tem sede própria nas cidades, onde há também estações de ônibus (“otogar”). Você pode comprar passagens em agências de viagens locais.

Segurança em Istambul:

Embora a tendência seja pensar que a Turquia está em guerra (simplesmente porque ela está localizada no Oriente Médio), este é um dos países mais seguros do mundo conforme estatísticas comparativas. Existem alguns conflitos étnicos, mas graças aos controles eficazes o risco é menor do que na maioria dos outros países do mundo.

O que vestir na Turquia:

Não há restrições quanto ao vestuário, exceto em visitas às mesquitas, quando há a exigência de usar um lenço para cobrir a cabeça (mulheres). Também não é permitido entrar com calçados nas mesquitas; leve meias para não ter que andar completamente descalço.

Comendo na Turquia:

cozinha turca é o resultado da miscigenação de muitas culturas. Há uma grande influência da cozinha mediterrânea com a utilização de azeites, vegetais e peixes. Os suculentos kebabs ( “grelhados”) de carne de carneiro são uma excelente opção, já que a carne de vaca não é tão popular como no Brasil e nem todos os restaurantes oferecem esta opção. Prove também o karniyarik (berinjelas recheadas) e as deliciosas entradas frias chamadas mezes. A grande maioria da população não consome carne de porco e derivados, por isso normalmente são encontrados apenas em hotéis de redes internacionais. Já a carne de frango é utilizada em vários pratos turcos. As sobremesas são infindáveis e variam de acordo com cada região.

Istambul

Café:

O grande legado turco para o mundo gastronômico é o café. Após o abandono do cerco otomano de Viena, os austríacos acharam sementes deixadas pelos otomanos e logo adotaram aquela bebida amarga e escura. O café turco é preparado de uma forma diferente. Ferve-se em uma vasilha especial a água, o pó do café torrado e moído e o açúcar. Depois de servido em pequenas xícaras, sem coar, espera-se um pouco antes de beber para que o pó se acumule no fundo da xícara. O resultado é um café completamente diferente do nosso cafezinho brasileiro, e muito mais forte que o tradicional expresso italiano.

Bebidas na Turquia:

O chá (çay em turco – pronúncia tchai) é a bebida mais popular da Turquia. Costuma-se beber em qualquer lugar a qualquer hora do dia. O chá sempre é oferecido aos visitantes como um sinal de hospitalidade, e é servido muito quente em copinhos com formato de tulipa. Para os turcos o chá tem maior importância que o cafezinho para os brasileiros. O airan é uma bebida não alcoólica que os turcos costumam beber junto com as refeições. Feito com iogurte, sal e água, é um sabor bastante exótico para os brasileiros. As bebidas alcoólicas não são proibidas na Turquia. Aliás, há uma particularidade, a Turquia é o único país muçulmano que tem sua própria e tradicional bebida alcoólica. Chamada Raki, é uma aguardente de anis que as pessoas misturam com água gelada. É a bebida nacional e contém 45% de álcool, por isso uma dica é não beber Raki tão rápido como cerveja.

Gorjetas:

O serviço (dahil) em geral não vem na conta, mas é praxe deixar 10% de gorjeta. Quando vem, está especificado no pé da nota. Na dúvida pergunte. Em hotéis, um dólar para carregadores de malas está de bom tamanho, e nos “hamans” (banhos turcos) os atendentes esperam 25% da conta.

Água:

Compre sempre água (“su” em turco) para beber, pois não é recomendado beber da torneira. Quando for comprar peça apenas por água, pois para eles, água mineral é água com gás.

Banhos Turcos:

O Banho Turco é uma tradição e geralmente pode ser feito nos melhores hotéis. A Turquia é um dos destinos mais procurados no mundo quando o assunto é spa.  O mais famoso edifício de banho turco de Istambul foi construído em 1584, pelo famoso arquiteto Sinan, com alas masculina e feminina separadas muito bem cuidadas. São massagens, aromaterapia, reflexologia, etc. Caso não queira fazer nenhum tratamento, vale a pena entrar para conhecer o hall com lojas que vendem acessórios tradicionais do banho turco.

Mesquitas na Turquia:

Durante as orações, as mesquitas são fechadas paraa reza. Você irá ouvir o Adhan (chamada para a oração) todos os dias 5 vezes ao dia. Ouve-se através dos minaretes na Turquia inteira, próximo às mesquitas, principalmente em Istambul.Istambul

Câmbio:

Você pode encontrar casas de câmbio no aeroporto e nas principais ruas da cidade. O câmbio também pode ser feito em bancos, porém as tarifas são mais vantajosas e os processos menos demorados nas casas de câmbio.

Cozinha Turca:

A cozinha Turca é fantástica, pois é o resultado da miscigenação de muitas culturas. Há uma grande influência da cozinha mediterrânea com a utilização de azeites, vegetais e peixes.

Os suculentos kebabs (significa “grelhados”) de carne de carneiro são uma excelente opção, já que a carne de vaca não é popular como no Brasil e nem todos os restaurantes oferecem esta opção. Prove também o karniyarik (berinjelas recheadas) e as deliciosas entradas frias chamadas mezes, uma delas (lakerda), feita de finas fatias de atum defumado.

A grande maioria da população não consome carne de porco e derivados, por isso normalmente são encontrados apenas em hotéis de redes internacionais. Já a carne de frango é utilizada em vários pratos turcos.

As sobremesas são infindáveis e variam de acordo com cada região.

No entanto, o grande legado turco para o mundo gastronômico é mesmo o café. Após o abandono do cerco otomano de Viena, os austríacos acharam sementes deixadas pelos otomanos e logo adotaram aquela bebida amarga e escura. O café turco é preparado de uma forma diferente. Ferve-se em uma vasilha especial a água, o pó do café torrado e moído e o açúcar. Depois de servido em pequenas xícaras, sem coar, espera-se um pouco antes de beber para que o pó se acumule no fundo da xícara. O resultado é um café completamente diferente do nosso cafezinho brasileiro, e muito mais forte que o tradicional expresso italiano.

O chá (çay em turco – pronúncia tchai) é a bebida mais popular da Turquia. Costuma-se beber em qualquer lugar a qualquer hora do dia. O chá sempre é oferecido aos visitantes como um sinal de hospitalidade, e é servido muito quente em copinhos com formato de tulipa. Para os turcos o chá tem maior importância que o cafezinho para os brasileiros.

O airan é uma bebida não alcoólica que os turcos costumam beber junto com as refeições. Feito com iogurte, sal e água, é um sabor bastante exótico para os brasileiros.

As bebidas alcoólicas não são proibidas na Turquia. Aliás, há uma particularidade, a Turquia é o único país muçulmano que tem sua própria e tradicional bebida alcoólica. Chamada Raki, é uma aguardente de anis que as pessoas misturam com água gelada. É a bebida nacional e contém 45% de álcool, por isso uma dica é não beber Raki tão rápido como cerveja.

Música e Artesanato:

Istambul

A Turquia é um país que produz uma variada gama de peças de decoração e de uso diário em cobre. É fácil encontrar ateliês onde os artesãos moldam na frente do público bules, jarras, bandejas, pratos, quadros, pequenas mesas e mais, tudo em cobre. As famílias mais antigas costumavam ir a uma dessas oficinas quando as panelas de cobre estavam já gastas e pedir ao artesão que desse um banho de cobre na panela. Hoje em dia não se cozinha mais nas tais panelas; no entanto, ainda é comum ver os artesãos dando banho de cobre nas peças usadas como decoração nas casas turcas. O trabalho de desenhar em cima do cobre e decorar cada peça produzida é algo bastante interessante de se ver. Em Ancara é possível apreciar o trabalho desses artesãos no bairro de Ulus, na parte conhecida como Samampazari é um ótimo passeio. As peças em cobre são realmente muito bonitas e deixam qualquer casa mais interessante.

Os tapetes turcos são considerados entre os melhores do mundo e sua produção remonta 4 mil anos atrás. Na fábrica Avanos Hasi, por exemplo, os tapetes são todos feitos a mão por centenas de artesãs que trabalham na forma de cooperativa. Todos os motivos são tradicionais, cópias de tapetes com centenas de anos de idade. Os tapetes podem ser feitos de lã, lã com algodão e seda. Estes últimos são os mais caros, pois tem uma trama mais fina e portanto, demoram mais tempo para serem produzidos. Um tapete de 2 metros quadrados de lã leva cerca dois meses de trabalho, enquanto outro com o mesmo tamanho feito com seda, demora quase um ano para ficar pronto.

Além destes principais produtos, o artesanato turco é composto por um rico mosaico de opções que se formou a partir de um legado cultural de 2.000 anos de história. Outros produtos encontrados são: cerâmica, peças em vidro multicolorido, bordados, instrumentos de corda, artigos em couro e madeira, batas, pinturas em miniatura, trabalhos de caligrafia, entre outros.

A música turca consiste em diversas referências da música folk da Ásia Central, da música grega, do Império Otomano e da música persa. Além disso, também apresenta influências da música pop americana e européia.

Os chamados Âşık, ou trovadores, preservam uma cultura mantida ao longo dos séculos onde a trova é acompanhada pelo saz, um instrumento musical parecido com o bandolim.

A música religiosa dos Dervixes acompanha o Sema, ritual ao som flauta ney, instrumento clássico na tradição religiosa. Os dervixes rodopiantes fazem parte da ordem Mevlevi do Sufismo, uma corrente do Islã. Surgido há quase 700 anos, hoje este braço sufi perdeu muito de sua essência religiosa, sobrevivendo, sobretudo, por seu valor cultural. Os sufis Mevlevi acreditam que é possível atingir o êxtase do amor universal pela prática do giro, assim como todas as coisas do universo, como a Terra e os planetas.

A dança é uma das expressões artísticas mais variadas da Turquia, pois cada região do país possui sua própria dança. Na região do Mar Negro, por exemplo, a dança tradicional é chamada de Horon, praticada somente por homens, que devem usar figurinos pretos e justos. No Horon, os dançarinos se movem rapidamente ao som do Kemence, instrumento musical semelhante ao violino. Kasik Oyunu é a dança típica da região de Konya e Silifke, na Anatólia, na qual homens e mulheres podem participar. A dança consiste em acompanhar a música através de movimentos e sons produzidos pelas mãos dos dançarinos com colheres de madeira. Já na região do Mar Egeu, a dança tradicional chama-se Zeybek. Destinada aos homens, é uma dança lenta que considera seus dançarinos como símbolos de coragem. Kalkan Kilic é a dança de Bursa, praticada apenas por homens que se vestem como soldados do início do Império Otomano e produzem sons através de movimentos com espadas.

Assistência ao Turista:

Já no aeroporto você vai encontrar um posto de informações 24 horas – Tel. (212) 663-0793.

No bairro de Sultanahmet, há um na Divan Yolu, 3. – Tel. (212) 518-1802.

Há outro na estação de trem de Sirkeci –  Tel. (212) 511-5888.

Na região de Beyoglu, há um posto dentro do Istambul Hilton, na Cumhuriyet Caddesi –  Tel. (212) 233-0592.

Passeios em Istambul

[rev_slider anuncioistambul]

Santa Sofia:

Aya Sofia foi construída pelo imperador Justiniano entre os anos 527 e 537 para reafirmar o poderio de Roma e do cristianismo. Após a queda de Constantinopla perante o Império Otomano, no século XV foi convertida em mesquita – mas nem os sultões tiveram coragem de desconfigurar tamanha beleza. No máximo, acrescentaram os poderosos minaretes (torres altas e finas) ao seu exterior. Hoje o magnífico edifício é um museu, no qual as cúpulas e paredes pintadas são a maior atração. Ali, ícones islâmicos convivem lado a lado com santos cristãos – um grande painel com o nome do Profeta  Maomé está pendurado bem ao lado de um mosaico da Virgem Maria. Do outro lado da rua (acessível por uma entrada separada e paga à parte), a Cisterna da Basílica, também construída por Justiniano em 532, merece ser vista. Escorada por colunas em vários estilos, servia para abastecer o glorioso palácio de Topkapi. Com quase 1.500 anos, Aya Sofia é enorme, linda, impactante, cheia de história e certamente uma das construções mais belas do mundo. Localização: Ayasofya Meydani. Tel. (212) 522-1750.

Mesquita Azul:

Uma ótima dica é visitar a Mesquita Azul. Foi construída próxima à Aya Sofia entre 1607 e 1616, local escolhido justamente para sobrepor o poder do islã sobre o cristianismo. A dupla de construções forma o cenário mais impressionante de Istambul. Uma das mesquitas mais belas do mundo, possui seis minaretes altíssimos e uma verdadeira cascata de cúpulas. Ali você tem a oportunidade de acompanhar as orações diárias e visitar o seu interior, preciosamente adornado por mosaicos nos quais o azul é a cor predominante. O piso é coberto por um carpete vermelho ricamente decorado com motivos de tulipas. Esta por sinal é a flor símbolo da Turquia, presente em todas as praças da cidade. Dizem que as primeiras tulipas que chegaram à Holanda vieram da Turquia e foram presente do sultão Mehmed II, no século XV. As mulheres devem cobrir o cabelo em sinal de respeito. A mesquita também é conhecida pelo nome Sultan Ahmet Camii. Os azulejos que a cobrem vieram de Iznik. Localização: Sultanahmet Meydani. Tel. (212) 458-0776. www.sultanahmetcami.org.

Palácio de Topkapi (“palácio da porta do canhão”):

Istambul

Foi moradia de diversos sultões otomanos entre os séculos XV e IXX. Deslumbrante, merece uma visita de pelo menos meio dia. Acredita-se que dentro dele moravam 4.000 pessoas que serviam diretamente ao sultão e suas muralhas têm mais de 5 quilômetros de extensão. Entre jardins e pátios (de alguns se tem uma bela vista para o mar), distribuem-se vários pavilhões entre os quais estão os cômodos onde se desenrolava a vida dos habitantes do palácio e também salas que guardam o tesouro dos soberanos. Em uma destas salas, são exibidas relíquias sagradas como o cajado de Moisés, uma panela de Abraão, o crânio de João Batista, a espada de Davi, além das vestes e fios da barba do profeta Maomé. É um lugar considerado tão sagrado que, durante 24 horas por dia, sempre há alguém recitando trechos do Alcorão, o livro sagrado do Islã. Não deixe de visitar o harém, cuja entrada é paga à parte, a ala mais impressionante do conjunto. Localização: Babihumayun Cad. Tel. (212) 512-0480.

Banhos Turcos:

Relaxar em um legítimo “hamam” é uma boa opção entre uma caminhada e outra pela cidade. As opções são inúmeras, mas nem todas têm boa reputação. Para não ter erro, duas boas opções são o Cagaloglu Hamami ou o Cemberlitas Hamami. Ambos são velhos conhecidos dos turistas, mas ainda assim belíssimos. Para curtir a experiência, reserve pelo menos duas horas. Há sempre uma lista detalhada dos serviços oferecidos, que incluem um simples banho, uma massagem esfoliante ou uma vigorosa massagem corporal. Toalhas e produtos de banho são oferecidos. Basta então se trocar e relaxar na sala úmida hararet, a sauna propriamente dita, onde também são feitas as massagens sobre uma mesa central de mármore. Após o tratamento, nada como terminar o dia tomando um chá. Localização: (Cagaloglu) Kazim Ismail Gurkan Cad 34 – Tel. (212) 522-2424, (Cemberlitas) Vezirhan Cad. 8 – Tel. (212) 522 79 74. www.cagalogluhamami.com.tr / www.cemberlitashamami.com.tr.

Palácio de Dolmabahce:

Foi construído no século IXX e utilizado como moradia temporária para o presidente Atatürk, maior herói nacional e responsável pela modernização da Turquia quem faleceu em um de seus aposentos, conferindo uma áurea sagrada ao local (os relógios do lugar foram parados na hora de sua morte e assim permanecem até hoje). As visitas são todas guiadas. Localização: Dolmabahce Cad, Besiktas. Tel. (212) 227-3442.

Grand Bazaar:

Um enorme labirinto por onde se distribuem mais de 4 mil lojas forma o maior mercado de badulaques de Istambul. Luminárias, narguilés, roupas, joias, tapetes, almofadas, louças, cerâmicas… Para se dar bem, é fundamental colocar em prática a sua capacidade de pechinchar. Por ser a primeira opção de muitos turistas na hora de fazer as inevitáveis comprinhas, o Grand Bazaar costuma ter preços mais caros do que as lojas espalhadas pela cidade, mas com certeza é um dos lugares mais interessantes para se visitar.
Localização: Carsikapi Cad, Beyazit.

Bazar Egípcio:

Istambul

Também chamado de Bazar das Especiarias é outro mercado que vale uma visita. Os vendedores são muito simpáticos e oferecem degustação de tudo o que vendem, inclusive caviar. Os chás, então, são servidos em toda parte, todos muito saborosos. Além das especiarias e condimentos vindos de todas as partes da Ásia, é possível encontrar doces turcos, perfumes, artesanato, frutas secas e nozes. Nas ruas ao redor, vendem-se vários tipos de saborosos queijos, peixes e frutas. Uma festa para os sentidos da visão, olfato e paladar.

Passeios pelo Bósforo:

Istambul

Nas docas de Eminönü (próximas ao mercado de especiarias) embarque em algum dos vários passeios pelo estreito de Bósforo. Um deles dura cerca de uma hora e meia, e é possível apreciar o norte de Istambul onde estão os bairros mais nobres, grande mansões, mesquitas e castelos; passa também por baixo das duas grandes pontes que atravessam o estreito, importantes meios de conexão entre os dois continentes. É um ótimo programa principalmente para os dias de sol, pois os barcos têm uma grande área ao ar livre.
Localização: Eminonu Pier 3.

Catedrais Submersas (cisternas):

Estas imensas piscinas subterrâneas tinham o propósito de abastecer a cidade e garantir a sua resistência ao diversos cercos que sofreu (foram 21). São mais de 70 delas construídas há aproximadamente 1.500 anos, ou mais. Seus salões são imensos, alguns com mais de 10 metros de altura. Uma destas cisternas que pode ser visitada possui 140 metros de comprimento e 70 de largura, as colunas que sustentam seu teto foram construídas em de diversas épocas e apresentam diferentes estilos.

Istambul

 Torre Gálata:

Erguida há muitos séculos, este gigante de pedra tinha a função de vigiar a cidade contra incêndios e ameaças de invasões. No seu topo há um restaurante e um mirante externo de onde é possível avistar todos os cantos da cidade.
Localização: Galata Kulesi K.2 Karaköy / Beyoğlu. Tel. (212) 245-1160.

Rua Istiklal:

Uma rua de pedestres com 3 kms de extensão. Todos os dias mais de um milhão de pessoas passam por ela. Repleta de lojas, restaurantes e cafés. Um bondinho percorre a rua de uma extremidade a outra. Fica em Taksim

Mas não se esqueça de sempre conferir o clima do local antes de planejar sua visita, podendo assim aproveitar melhor a sua viagem!


Compras:

Nas proximidades dos atrativos turísticos os produtos costumam ser um pouco mais caros, mas andando pela cidade você encontrará bancas nas calçadas onde poderá comprar lembrancinhas por preços bastante atrativos.

Grand Bazaar
Carsikapi Cad, Beyazit.
O maior e mais antigo do mundo, onde os mais variados produtos são vendidos. Para facilitar a visita, as lojas são divididas em setores: alas onde há apenas jóias em ouro ou prata, outras especializadas em tapetes, existe ainda o espaço dos comerciantes de couro, de instrumentos musicais, lenços ou roupas baratas. Tudo é surpreendentemente organizado, com placas de sinalização.

Bazar Egípcio (Bazar das Especiarias)
“Misir Carsisi”
Em uma pequena caminhada é possível sentir aromas de canela, rosas, chá verde, açafrão e dos tradicionais temperos turcos. Cem gramas de chá custam de 2 a 5 liras turcas e a maioria das lojas embala os produtos a vácuo para que os turistas possam transportá-los. Não perca os doces recheados com nozes, pistaches, amêndoas ou chocolates, conhecidos como “turkish delight”. Vale a pena comprar algumas caixas de doces industrializados para trazer na volta ao Brasil. Outros itens como queijo ou café moído na hora são mais complicados para transportar, mas vale a pena experimentar ou admirar as vitrines com dezenas de variedades.

Bairro Sultanahmet
Com lojas bem descoladas, artesanato turco bonito e original.

Rua Taksim
Um grande calçadão com lojas dos 2 lados, bem comprida, por isso prepare-se para andar muito. São diversas opções de lojas com objetos de design e roupas. Há também uma infinidade de bares, restaurantes e doceiras deliciosas, e à noite é bem agitado.


 Museus:

Panorama 1453 Historical Museum
Topkapı Şehir Parkı, Topkapı
Tel. (212) 415-1453 – http://www.panoramikmuze.com
Aberto diariamente, das 09h00 às 19h00.
Neste museu panorâmico em 3D você pode testemunhar a conquista de Istambul.

Miniaturk
İmrahor Street (around Borsa stop), Sütlüce 34445, Beyoğlu
Tel. (212) 222-2882 – http://www.miniaturk.com.tr
A herança cultural e arquitetônica da Turquia reunida em miniaturas.

Yerebatan Cistern Museum (Cisternas)
Yerebatan Cad. No. 13, 34410 Sultanahmet
Tel. (212) 522-1259 – www.yerebatansarnici.com

Istanbul Modern
Meclis-i Mebusan Caddesi, Liman İşletmeleri Sahası, Antrepo No: 4, Karaköy
Tel. (212) 334-7300 – http://www.istanbulmodern.org/en
O primeiro museu privado da Turquia, dedicado à arte moderna e contemporânea.

Museu da Caligrafia
Beyazit Meydani.
Tel. (212) 527-5851.
Fechado aos domingos e segunda-feira. Expõe uma impressionante coleção de manuscritos e de livros antigos, remontando até o século XVIII.

Museu dos Tapetes
Sultanahmet.
Tel. (212) 528-5332.
Um pequeno e bonito museu no caminho da Mesquita Azul que expõe tapetes de diversos períodos.

Não esqueça que atrações como Santa Sofia e Topkapi Palace (em “Principais Passeios”) são também grandes museus.

Clima em Istambul

[rev_slider anuncioistambul]

O clima em Istambul pode variar rapidamente, em breves intervalos de tempo.
O inverno em Istambul: É frio e úmido com a possibilidade de pequenas nevascas; os meses de novembro a fevereiro são aqueles com maior pluviosidade.
O verão em Istambul: O calor é intenso, com uma temperatura média entre junho e setembro de 26° C. As máximas são de cerca de 30° C e as mínimas em torno de 18° C.
Entre maio/junho e setembro/outubro chove menos e a cidade está um pouco menos lotada.

As estações do ano na Turquia estão assim divididas:

Primavera: Março-Abril-Maio
Verão: Junho- Julho-Agosto
Outono: Setembro-Outubro-Novembro
Inverno: Dezembro-Janeiro-Fevereiro


 Clima em outras partes da Turquia:

Clima na Capadócia:

Está localizada a aproximadamente 1.300 metros de altitude. Seus invernos são frios e secos, por isso é a dica é trazer roupas quentes e calçados para poder caminhar na neve. A estação ideal para explorar a região é a primavera, quando as temperaturas variam entre os 7 °C e os 22 °C (mês de maio). Os verões são ensolarados, quentes e secos, mas as noites são frias. Já no outono as cores da paisagem mudam para tons de vermelho, laranja e dourado; o  tempo também é agradável e as noites são frias.

Turquia - Capadocia

Clima na Costa da Turquia:

Do Mar Egeu até a Costa Meridional (Riviera Turca, Antalya) o clima é mediterrâneo, bastante ameno e o sol brilha por cerca de 300 dias ao ano. São mais de 700 quilômetros de praias de águas límpidas para você aproveitar.
Monte Nemrut – Localizado a 2.150 metros de altitude, possui clima continental. Você também pode fazer passeios no inverno, quando a neve dá um toque especial na paisagem.


 Médias Climáticas em Istambul

Média de temperatura em Istambul

Média de temperatura em Istambul

Médias de precipitações em Istambul

Médias de precipitações em Istambul

Videos Turquia

Turquia, um país dividido entre dois continentes, berço de civilizações e herdeiro de uma cultura rica e variada. Nos vídeos Turquia você poderá viajar por vários destinos turísticos deste país e conhecer um pouco de suas paisagens, música, gastronomia e história. Visite a multicultural Istambul, a capital Ancara, a centenária e mística Capadócia, a religiosa Konya, a impressionante Pamukale e as famosas ruinas de Éfeso. Aproveite a viagem e desfrute também o sol da Riviera Turca e passeio de Gulet (barcos típicos) pelas aguas azuis dos mares Egeu e Mediterrâneo. Assista os vídeos e seja bem-vindo a Turquia.

Istambul-Avenida-Istiklal-150x112Istambul Turquia-Ancara-34-150x112Anatólia Capadocia-Balões-150x112Capadócia
 Turquia-Pamukkale-771-150x112Pamukkale  DSC_0396-150x112Kusadase

 BODRUN1-150x112Riviera Turca e Trabzon

Destino Istambul

[rev_slider anuncioistambul]

Ela já foi chamada de Nova Roma, Bizâncio, Rainha das cidades e Constantinopla. Já foi capital de dois grandes impérios e é
considerado um dos pontos mais estratégicos do mundo. Estamos falando de Istambul, a maior cidade da atual Turquia, fundada há mais de 2.500 anos. Istambul é uma cidade dividida. Não pela política ou pela religião, mas pela geografia. É cortada ao meio pelo estreito de Bósforo, um dos mais importantes e movimentados do mundo. Metade da cidade fica na Europa e a outra metade na Ásia.

Istambul é fantástica, uma mistura de passado e futuro, oriente e ocidente. Possui clima variado durante o ano, o inverno é chuvoso e o verão seco e quente. Altos e modernos edifícios se misturam com palácios, muralhas milenares e mesquitas, muitas mesquitas. Só em Istambul são mais de duas mil. Mas apesar de tanta fé, o país sabe separar bem a religião da política. A maioria da população é muçulmana, mas convive muito bem com as minorias cristãs e judias. Um bom exemplo disto a Hagia Sophia. Ela nasceu como uma catedral cristã, depois foi convertida em mesquita e agora é um grande museu onde ícones islâmicos convivem lado a lado com santos cristãos. Um grande painel com o nome do profeta Maomé fica pendurado justo ao lado de um mosaico da virgem Maria. Uma convivência exemplar. Hagia Sophia é ampla, linda, impactante e cheia de história, certamente uma das construções mais belas do mundo com mais de 1.500 anos de história. Outro lugar que me impressionou muito foi o Palácio Topkapi (Palácio da Porta do canhão). Esta foi à residência oficial dos sultões Otomanos entre os anos de 1465-1856. Como muitas construções Otomanas, o palácio é gigantesco. Dentro dele moravam quatro mil pessoas que serviam diretamente ao sultão. Suas muralhas têm mais de cinco quilômetros de extensão. Nas salas ricamente decoradas estão exibidas carruagens, armaduras, roupas, utensílios e jóias. Nas salas de tesouros encontramos artigos e armas usadas pelos sultões, quase tudo em ouro cravejado com milhares de pedras preciosas. Em um palácio especial estão exibidas as relíquias sagradas para o islamismo com o cajado de Moisés, uma panela de Abraão, o crânio de João Batista, a espada de David, além das vestes e fios da barba do profeta Maomé. É um lugar considerado tão sagrado que, durante 24 horas por dia, sempre tem alguém recitando trechos do Alcorão, o livro sagrado do Islã.

 Istambul

 

Em um lugar onde a religião é tão presente, nossa terceira visita só poderia ser em uma mesquita, por sinal uma das mais belas e grandiosas da cidade. Na Mesquita Azul você tem oportunidade de acompanhar as orações diárias e visitar partes de suas dependências. A mesquita é ampla, clara e possui lindos mosaicos e vitrais de cor azul (daí o nome). Sua grande abóboda só é superada em tamanho e altura pela de Hagia Sophia. O piso é coberto por um carpete vermelho ricamente decorado com motivos de tulipas. Esta por sinal é a flor símbolo da Turquia, presente em todas as praças da cidade. Dizem que as primeiras tulipas que chegaram à Holanda vieram daqui e foram presente do sultão Mehmed II, o conquistador, no século XV. Outro patrimônio turco são os gatos. Como as tulipas, eles estão em toda parte, inclusive nos museus.

Ao lado da Mesquita Azul, encontramos o que restou do antigo hipódromo romano. O local é um uma grande praça e os únicos vestígios da sua ocupação original são o traçado oval das ruas e dois obeliscos egípcios (de 2.500 anos de idade) trazidos pelos romanos para embelezar o centro da arena.

 Istambul

Passear a pé por Istambul é uma maneira de viajar pela história e conhecer um pouco do próprio país. Como a ponte
sobre o Bósforo, Istambul consegue unir com maestria o nosso mundo ocidental com o oriente. Costumes, música e religião estão presentes nos grandes monumentos e no dia a dia das pessoas. A cidade está coberta de história de alto a baixo, literalmente. Explico! Sob a cidade, foram construídas mais de 70 cisternas, as mais antigas datadas de 1.500 anos atrás. Estas imensas piscinas subterrâneas tinham o propósito de abastecer a cidade e garantir a sua resistência ao diversos cercos que sofreu (foram 21).
Seus salões são imensos, alguns com mais de 10 metros de altura e quase duzentos metros de comprimento. As colunas que os sustentam possuem diferentes estilos. Acredita-se que foram retiradas de templos e palácios mais antigos.

Depois de conhecer os subterrâneos, nossa visita continuou pelas ruas de Istambul onde conhecemos dois importantes mercados.
O bazar de Istambul impressiona pelo seu tamanho e pela variedade de artigos que oferece. Nas suas ruas cobertas se comercializaIstambul praticamente de tudo, desde antiguidades até camisas de futebol, passando por jóias, artigos em prata, bronze e couro. O outro mercado que marcou nossa visita foi o Bazar Egípcio, ou Bazar das Especiarias é uma ótima dica de lugar para ir. Os vendedores são muito simpáticos e oferecem degustação de tudo o que vendem, inclusive caviar. Além das especiarias e condimentos vindos de todas as partes da Ásia, encontram-se no bazar, doces turcos, perfumes, artesanato e frutas secas. Nas ruas ao redor, vendem-se vários tipos de queijos (um mais saboroso que o outro), frutas, peixes e frutas. Uma festa para os sentidos da visão, olfato e paladar.

Um dos passeios imperdíveis na cidade é o cruzeiro de uma hora pelo estreito de Bósforo que divide a cidade entre a Europa e Ásia. O passeio nos leva para o norte de Istambul onde estão os bairros mais nobres, grande mansões, mesquitas e castelos. O centro comercial da cidade está na Praça de Taksim, bem no alto da cidade nova. Dali parte a rua mais famosa e mais movimentada de Istambul, a Istiklal. Esta avenida de três quilômetros, dedicada somente aos pedestres, está repleta de lojas e restaurantes que funcionam quase que 24 horas por dia. Nela circulam diariamente cerca de três milhões de pessoa. Em um dos extremos da avenida está a Torre Gálata, um dos pontos mais altos da cidade. Erguida há muitos séculos, este gigante de pedra tinha a função de vigiar a cidade contra incêndios e ameaças de invasões. No seu topo hoje há um restaurante e um mirante de onde se pode avistar os principais pontos da cidade.

Há muito mais o que ver na cidade de Istambul entre mercados, museus, mesquitas e apresentações culturais. Apesar de ser antiga, a cidade sabe muito bem viver o presente. Em sua viagem a Turquia, separe tempo para conhecê-la, pois ela é a melhor porta de entrada para o oriente.

Capadócia

O que dizer da Capadócia? Linda, maravilhosa, surreal, diferente, única? Qualquer adjetivo que escolher nunca fará jus ao que encontrei neste pedaço da Turquia. Toda esta beleza e encantamento tem origem em dois fatores: a história da região e sua formação geológica. Há milhares de anos, toda a Capadócia foi coberta por uma espessa camada de cinzas vulcânicas, que junto com água, formou um cimento chamado Tufo. Esse material, poroso e leve passou então a sofrer com a erosão das intempéries. O resultado foi uma paisagem única, repleta de colunas, torres, monólitos e cones que lembram uma terra dos contos infantis. Talvez por isto, suas principais formações foram batizadas de Chaminés de Fadas.

Não demorou muito para os homens descobrirem que o Tufo poderia ser facilmente escavado e utilizado de forma prática. Há mais de dois mil anos o homem tem construído suas casas dentro das Chaminés, morando literalmente dentro da terra. Existem casas de todos os tamanhos e estilos, todas escavadas dentro dos cones. Muitos dos hotéis e restaurantes da região, também foram construídos da mesma maneira. Na cidade de Uçhisar encontramos várias destas casas ainda habitadas e em perfeito estado de conservação

Mas não foram só casas que os antigos habitantes construíram. Próximo da cidade de Goreme, encontramos o Museu Aberto de Goreme. Ali existiu desde o século X, um monastério escavado nas paredes de um vale. Foram construídos quartos, refeitórios, tumbas, capelas e igrejas, obras de tirar o fôlego. A mais bem preservada é a Igreja Escura (Dark Church), cujos afrescos ainda preservam a mesma cor e beleza de séculos atrás.

Outro lugar igualmente impressionante é a cidade subterrânea de Kaymakli. Esta é apenas uma das 36 cidades subterrâneas da Capadócia, criadas como esconderijos pelos primeiros cristãos que chegaram a região. Elas são gigantescas e tem capacidade para abrigarem milhares de pessoas. A de Kaymakli é a mais larga e tem seis níveis abaixo da superfície. As casas, cozinhas e  depósitos são interligados por um sistema de túneis, um verdadeiro labirinto difícil de ser detectado ou atacado pelos inimigos. Para suprir oxigênio e água, eram cavados grandes poços verticais. A água vinha do fundo, enquanto o oxigênio entrava pela parte superior. Com certeza um grande feito da engenharia produzido com ferramentas rudimentares e muita vontade de sobreviver.

Hoje, toda a região da Capadócia é protegida e está sob uma restrita legislação que protege tanto as casas já construídas, com as formações em estado bruto. Um dos melhores lugares para se conhecer as formações originais é o vale de Pasabag, também perto da cidade de Goreme. Todavia, a melhor visão de toda a região não é da terra, mas sim do ar. Diariamente dezenas de balões decolam ao nascer do sol levando os visitantes para um passeio inesquecível sobre a linda Capadócia. Durante 60 minutos, os balões deslizam tanto rente ao solo, próximo as formações, como a grande altitude, oferecendo uma visão privilegiada de toda a região.

Mas a Capadócia não é feita só de chaminés de fadas ou cidades subterrâneas. A produção artística na região é forte e igualmente impressionante. O artesanato em madeira, pedra e cerâmica são marcantes. Visitamos um mestre ceramista chamado de Chez Galip, cuja obra se inspira em peças de povos antigos e em motivos islâmicos. Nos seu atelier é possível ver todo o processo de produção e finalização das obras. Outro lugar que nos impressionou foi a fábrica de tapetes de Avanos Hali. Os turcos são famosos pela confecção de tapetes, tradição que aprenderam a mais de 4 mil anos. Na Avanos Hali acompanhamos desde a extração da seda, a coloração dos fios, o processo de tecelagem manual e o acabamento.

A visita a Capadócia não poderia terminar sem um mergulho na cultura turca. No restaurante Han Çiragan, na vila de Urgup, assistimos um show com danças tradicionais trazidas de várias partes da Turquia e nos encantamos com o espetáculo (e com a comida). Também descobrimos que umas das mais importantes dançarinas folclóricas da região é uma brasileira. Maria Clara Sussekind, estudiosa de danças orientais, chegou a Capadócia há quatro anos para uma visita rápida, se apaixonou pelo lugar e não saiu mais. Quem sabe este também seja o nosso destino. Vamos para a Capadócia?

Conheça nossos Pacotes para a Turquia.

Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt
Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. www.goldtrip.com.br  //  www.familiagold.com.br 
* Fotos: Família Goldschmidt

 

Página original: http://www.goldtrip.com.br/viaje-comigo-turquia-capadocia/