AONDE FAZER UM SAFÁRI NA ÁFRICA?

Se você vai visitar a África pela primeira vez, uma coisa é certa: você vai fazer uma SAFÁRI! A África é um continente impressionante, que tem grandes áreas selvagens, aonde elefantes, girafas, zebras e leões vivem livremente. Agora, resta a dúvida? Aonde fazer um safári na África? Leia Mais

Vídeos Namíbia

Apesar de pouco conhecida pelos brasileiros, a Namíbia é um país já consolidado com um dos principais destinos turísticos do continente africano. Possui inúmeros atrativos, que incluem dunas douradas, canions, tribos exóticas e parques de safáris repletos de animais selvagens. Veja isso e muito mais nos Vídeos Namíbia.

 

 DUNAS E AVENTURAS

 

 TRIBOS EXÓTICAS E ETOSHA

Dicas para Namíbia

africa do sulIdioma: Seu idioma oficial é o inglês; e existem outras 13 línguas faladas correntemente no país.

Visto: Brasileiros não precisam de visto (a permanência no país deve ser de até 90 dias)

Vacina: Necessária a vacina contra febre amarela (certificado com validade internacional). Medicação anti malária é necessária caso você viaje para áreas afetadas.

Moeda: Dólar Namibiano. O Rand sul africano também é aceito, e a cotação está em paridade com o Dólar Namibiano.

Fuso horário: + 5 horas

Código telefônico: 264

Eletricidade: 220 volts.

Gorjetas: Como nos demais países africanos, gorjetas são sempre bem vindas. Na Namíbia você pode deixar entre 10 e 15% do valor da conta em restaurantes. Quando estiver em um Lodge, costuma-se dar gorjetas para o staff e para os guias dos safáris (Rangers).

Estradas e acessibilidade:

A Namíbia possui uma rede com mais de 6 mil quilômetros de estradas asfaltadas, e milhares de quilômetros de boas estradas de terra. Assim como na África do Sul, lá vigora a “mão inglesa”, ou seja, dirige-se pelo lado esquerdo da rua e a ultrapassagem é feita pela direita – usar um GPS é aconselhável, pois tira do motorista a preocupação de ficar olhando os nomes das ruas e o deixa livre para dirigir no lado certo. Caso opte por dirigir, lembre-se de levar a sua carteira de habilitação internacional. Além das estradas, muitos optam por viajar em aviões de pequeno porte, que chegam a todas as partes do país.

Safáris: 

O melhor horário para observar os animais durante os safáris é cedo pela manhã e no final da tarde. Lembre-se que as primeiras saídas são ainda de madrugada e você deve se agasalhar.

Namibia

Onde ficar:

Por ser um país de baixa densidade demográfica, a Namíbia possui poucas cidades. É muito comum o turista se hospedar em pequenos lodges localizados perto dos principais atrativos turísticos. São acomodações integradas ao meio ambiente, com todos os serviços necessários e opções para atender a todos os gostos e bolsos.

O que levar?

Ainda que o clima varie de região para região, os dias costumam ser quentes e as noites surpreendentemente frescas. Por isso, oNamibia ideal é se vestir em camadas. Durante o dia prefira roupas frescas e de algodão, e para as noites, leve jaqueta e blusas mais quentes (que também servirão para as saídas cedo pela manhã). Outros itens sugeridos são repelente, protetor solar e labial, hidratante, boné ou chapéu, calçados confortáveis para passeios com caminhada, traje de banho, binóculos e lanterna.

Comendo na Namíbia:

A diversidade cultural do país também se manifesta na comida. Sua carne está entre as melhores do mundo, rivalizando, inclusive, com a Argentina. A população é uma consumidora leal da carne. Seu gado é criado à moda antiga, o que resulta em uma carne de boa qualidade. A cozinha regional é bastante diversa, cada cidade oferece opções de restaurantes, lanchonetes e padarias para você escolher.

Passeios na Namíbia

Windhoek:

Esta é a capital da Namíbia, onde chegam os vôos vindos da África do Sul (apenas 2 horas de vôo), e ponto Namibia - Windhoekde partida para conhecer o país. Está localizada no centro geográfico do país, cercada por montanhas. A influência alemã está presente na língua e em seus restaurantes especializados em pratos típicos – sem esquecer a cerveja e o pão – e, por isso, vale uma visita! Durante o dia, seu centro tem um ar europeu, descontraído e eclético. Você pode passear pelo distrito turístico, com lojas e quiosques, e observar a mistura de raças e culturas, fruto de sua história complexa. As principais atrações incluem o Museu Nacional da Namíbia Alte Feste (Velha Fortaleza), a Christuskirche – paróquia luterana que data de 1896, e Katutura, um subúrbio construído na década de 1950 sob a política sul africana do apartheid; hoje, uma mistura de pessoas de diferentes culturas que vivem juntas em paz e harmonia.

Deserto de Namib: 

O grande deserto de Namib cobre toda a costa sul do país e é considerado um dos mais antigos e de clima mais seco do mundo. Ali, as dunas avançam desde o mar até 150 quilômetros no interior, formando um mar de areia que muda de cor e forma de acordo com a região. Um dos trechos mais visitados das dunas fica dentro doParque Nacional Namib-Naukluft, conhecido por suas lindas e impressionantes paisagens. Nele, o rio Tsauchad formou um grande vale que é cercado de dunas gigantes e de areia dourada. Este rio só possui água durante a estação das chuvas; durante as inundações, as águas represadas pelas dunas formam um grande lago de argila branca e sal conhecido como Sossusvlei – considerado por muitos o mais impressionante atrativo cênico da Namíbia, um paraíso para os amantes da fotografia! O parque abre seus portões justamente ao nascer do sol. Esta é a melhor hora para se visitar o vale, pois o sol baixo realça os contornos das dunas e acentua sua cor. O vale abriga dezenas de dunas que chegam a mais de 300 metros de altura. Algumas delas são consideradas como as mais altas do mundo. Para ter vistas de tirar o fôlego, suba alguma destas dunas… Você se surpreenderá com paisagens como a do Deadvlei, uma grande extensão de argila branca pontuada por antigos esqueletos de árvores com 500 anos de antiguidade, que ficaram presas na argila quando o lago secou. Outra paisagem fantástica é caminhar entre os paredões erosionados do cânion de Sesriem, fruto do trabalho da força das águas do rio Tsauchad durante a época das cheias.

Namibia

Kalahari: 

O maior trecho contínuo de areia do mundo é considerado um dos melhores passeios na Namíbia. Tecnicamente, o Deserto de Kalahari não chega a ser 100% um deserto. Isto porque uma modesta quantidade de chuva faz com que a paisagem possua vegetação, com variedades de árvores e arbustos. Durante a primavera, as planícies ficam cobertas de flores, enquanto que no verão as chuvas dão uma cobertura de folhagem à paisagem. Esta beleza cênica se une ao silêncio e quietude de estar rodeados por tanta imensidão, o que na opinião dos visitantes é uma experiência muito enriquecedora e quase espiritual. Mas uma dica imperdível é fazer uma visita ao Kalahari  e conhecer a tribo San Bushmen. Estão disponíveis visitas guiadas, onde você poderá aprender mais sobre suas origens, tradições, forma de vida e língua peculiar.

Swakopmund:

Esta cidade litorânea fundada em 1892 foi o principal porto alemão durante o domínio do império e ainda guarda forte influência deste período. Hoje, é uma cidade de veraneio com muitas lojas, cafés e sempre repleta de turistas. Não é à toa que é conhecida como o “playground da Namíbia”. A região oferece muitas oportunidades de passeios para o visitante, você pode conhecer a região por terra, mar e ar. Um deles é ir até Walvis Bay e fazer um passeio de barco até a Península dos Pelicanos, onde existe um farol, uma fazenda de ostras e uma grande colônia de lobos marinhos. São tantos animais que alguns, já acostumados ao turismo, sobem a bordo do catamarã para dar as boas vindas e ganhar alguns peixes. Os pelicanos, as baleias e os golfinhos também fazem parte desta animada visita. Outro passeio bem procurado nesta região são os sobrevôos do deserto. A bordo de pequenos monomotores, é possível sobrevoar as dunas, os cânions e até a montanha mais alta do país, Brandsberg, com 2.572 metros de altura. A rota mais popular é a que segue para o sul, sobrevoando o mar de dunas, os lagos de Sossusvlei e os famosos navios do deserto – enormes embarcações que encalharam na costa há dezenas de anos e foram literalmente engolidas pelo deserto que avança sobre o mar. Para os mais a aventureiros, outra opção é conhecer o deserto sobre potentes quadriciclos. Este passeio incrível percorre dunas e vales e, além de emoção, oferece lindas paisagens. A cidade de Swakopmund, além de muito interessante, é também um marco geográfico importante da costa da Namíbia.

Ao sul de Swakopmund, o litoral é coberto por grandes dunas até o rio Orange, fronteira com a África do Sul. É a região de diamantes, com acesso restrito e controlado pelo governo. Ao norte da cidade, o litoral também é deserto, porém sem diamantes ou dunas: é a temida Costa dos Esqueletos, região que ganhou este nome por estar pontilhada por esqueletos de navios, baleias e até ossos humanos.

Damaraland: 

Localizada a nordeste da temida Costa dos Esqueletos, os domínios da tribo Damara formam uma região conhecidaNamibia como Damaraland. É uma zona semiárida, conhecida por suas pinturas rupestres, bosques de árvores fossilizadas e, principalmente, por seus elefantes – os “elefantes do deserto”. Estes animais fazem parte de um pequeno grupo que se adaptou a estas difíceis condições; vivem nos leitos secos dos rios onde a água que ainda corre abaixo do solo mantém vivos árvores e arbustos.

Além dos Damara, outra tribo muito representativa no país são os Himba. Esta etnia habita no norte do país e é conhecida por viver da mesma maneira que há centenas de anos. Os homens desta tribo são responsáveis pelo gado, sua maior riqueza. Eles ficam no campo boa parte do ano, deixando nas aldeias apenas as mulheres e crianças. As mulheres Himba cobrem seus corpos com uma mistura de gordura e um pó ocre, tanto para se protegerem do sol, como para sua beleza. Os cabelos possuem apliques com pele de animal e também são cobertos pelo mesmo material. Elas cobrem apenas a parte inferior do corpo e usam muitos adornos e enfeites. São, em geral, muito simpáticas e gostam de receber visitas, pois assim aproveitam para vender seu artesanato e melhorar sua renda. Ao contrário de outras tribos, as mulheres Himba gostam de ser fotografadas, desde que possam ver o resultado nas telas das câmeras.

Safáris: Namibia

Além das paisagens e tribos, muitos visitam a Namíbia atrás de um bom safári. Na região norte e na franja nordeste, existem vários parques que reúnem milhares de animais. Um dos mais conhecidos é o Parque Nacional Etosha, uma das reservas mais antigas da África, hoje com cerca de 23 mil quilômetros quadrados. Esta reserva possui uma grande quantidade de animais e algumas espécies bem interessantes como um raro antílope de cara negra. Cerca de 25% do parque é coberto por um grande lago salgado, que só acumula água durante a estação das chuvas. Os animais da região dependem destas chuvas para sobreviver. Para enfrentar as temporadas de seca, o governo perfurou milhares de poços artesianos que alimentam pequenos lagos, e é isto que torna este parque tão diferente dos outros. No Etosha, para se observar os animais basta estacionar ao lado de um destes lagos, esperar e fotografar: é como se a Arca de Noé abrisse as portas à sua frente! Com animais de várias espécies bebendo da mesma fonte. Dentro do parque existem alguns lodges pertencentes ao governo, que possuem seus próprios lagos, cercados de telas, onde os animais vem saciar a sua sede. Os hóspedes podem fazer safáris sentados confortavelmente em frente a seus quartos, com todo conforto e segurança. Ao redor do parque, existem também algumas reservas privadas especializadas em alguns tipos de animais. A Reserva de Ongava, por exemplo, é conhecida por abrigar grandes famílias de rinocerontes e leões, e oferece safáris bem interessantes.

Clima na Namíbia

Boa parte do território da Namíbia está coberto pelo Deserto de Namib, um dos mais secos do mundo. A corrente fria de Benguela mantém a costa fresca, úmida e sem chuvas na maior parte do ano.

Namíbia

O clima na Namíbia é considerado semidesértico, onde faz calor durante o dia e frio à noite. Como o clima pode variar, a dica é levar agasalho (como uma jaqueta corta vento, por exemplo), e também gorro e luvas. Lembre-se de usar sempre protetor solar e labial, e beber bastante água durante os passeios.

Namíbia na estação seca (Abril a Novembro): Onde o clima é mais fresco; é a melhor para o turismo.
Namíbia na estação chuvosa ( Dezembro a Março): Quando também faz muito calor.

Destino Namíbia

Este pequeno país da costa sudoeste da África é banhado pelo Oceano Atlântico e, embora ainda seja pouco conhecido Namíbiapelos brasileiros, é um dos principais destinos turísticos do continente africano.

Ainda que sua história nos faça viajar no tempo 26 mil anos antes de Cristo (data aproximada das pinturas rupestres de Twyfelfontein), a Namíbia é um país jovem. Diversas foram as tribos que se instalaram em seu território – entre elas Himba, San Bushmen, Nama, Herero, Bantu Herdsman – mas foi apenas em meados do século IXX que exploradores, caçadores de marfim e missionários surgiram por lá, provavelmente devido ao seu litoral pouco hospitaleiro e estéril. Depois deles, surgiu o interesse europeu pela região, sendo a Alemanha o país a colonizá-la – sua capital, Windhoek, é um exemplo da forte influencia alemã, presente na arquitetura e no dia a dia da cidade até hoje. Este período de colonização foi marcado por muitos conflitos, até que os alemães se renderam à força expedicionária da África do Sul durante a Primeira Guerra Mundial. Teve início então uma nova colonização, que durou até 1990, quando a Namíbia conseguiu a sua independência da África do Namibia - WindhoekSul e o país foi criado. Hoje, a Namíbia possui pouco mais de dois milhões de habitantes.

Com um clima semidesértico e vegetação típica de deserto, a Namíbia oferece inúmeros passeios: dunas douradas, cânions, tribos exóticas e parques de safáris repletos de animais selvagens. Restaurantes e bares à beira de praias arenosas, por sua vez, dão um toque especial à viagem.

Está é a Namíbia, um país perfeito para quem gosta de ver em um só destino cultura, lindas paisagens e observar animais selvagens em seu ambiente natural. É a melhor dica de destino para suas próximas férias.

Quênia, Tanzânia, Namíbia, Ruanda, Zimbábue, Zâmbia e Botsuana

A África é um continente cheio de diversidade. Cada país, cada região, tem sua própria cultura, língua e religião. Até os animais se comportam de maneira diferente de acordo com o clima e a vegetação que encontram. Visite os destinos Quênia, Tanzânia, Namíbia, Ruanda, Zimbábue, Zâmbia e Botsuana, e descubra em cada um deles uma África diferente.

 DSC02676-150x112Zimbábue

 Botsuana-Parque-N-Chobe-150x112Zâmbia e Botsuana

 IMG_3583-150x112Quênia

Serengeti-9-150x112
Tanzânia
    uma-familia-de-gorilas-150x112Gorilas de Ruanda namibia-miniatura-150x112Namíbia – Parte 1
 80-–-Namíbia-–-Parte-2Namíbia – Parte 2

 

Namíbia – Parte 1

Namíbia – Dunas, tribos e vida selvagem  – Apesar de pouco conhecida pelos brasileiros, a Namíbia é um país já consolidado com um dos principais destinos turísticos do continente africano. Possui inúmeros atrativos, que incluem dunas douradas, canions, tribos exóticas e parques de safáris repletos de animais selvagens.

A Namíbia é um pequeno país localizado na costa sudoeste da África, e que possui pouco mais do que dois milhões de habitantes. Seu clima é semiárido com vegetação típicas de deserto. Possui duas estações demarcadas: A estação seca, melhor para o turismo,  que vai de Abril a Novembro e a chuvosa, que se estende de Dezembro a Março. A Namíbia é um país jovem, criado em 1990, depois de conseguir sua independência da África do Sul. Sua moeda é o dólar namibiano e seu idioma oficial é o inglês, embora existam outras 13 línguas faladas correntemente no país. A capital da Namíbia é Windhoek, com apenas 300 mil habitantes. Nela é possível observar forte influencia alemã, presente na arquitetura e no dia a dia da cidade. Afinal, o pais foi parte do império germânico até o final da primeira guerra mundial.

Toda sua costa sul está coberta pelo grande deserto de Namib, considerado um dos mais antigos do mundo.  Ali, as dunas avançam desde o mar até 150 quilômetros no interior, formando um mar de areia que muda de cor e forma de acordo com a região. Um dos trechos mais visitados das dunas fica dentro do Parque Nacional Namib-Naukluft, conhecido pela suas lindas e impressionantes paisagens.   Nele, o rio Tsauchad formou um grande vale que é cercado de dunas gigantes e de areia dourada. Este rio só possui água durante a estação das chuvas. Durante as inundações, as águas represadas pelas dunas formam um grande lago de argila branca e sal conhecido como Sossusvlei. O parque abre o seus portões justamente ao nascer do sol. Esta é a melhor hora para se visitar o vale, pois o sol baixo realça os contornos das dunas e acentua sua cor. O vale abriga dezenas de dunas que chegam a mais e 300 metros de altura. Algumas delas são consideradas como as mais altas do mundo.

A próxima parada pela quem visita a Namíbia é a cidade litorânea de Swakopmund. Fundada em 1892, a cidade foi o principal porto alemão durante o domínio do império e ainda guarda forte influencia deste período.  Hoje Swakopmund é uma cidade de veraneio, com muita lojas, cafés e sempre repleta de turistas. A região oferece muitas oportunidade de passeios para o visitante. Um deles é ir até Walvis Bay e fazer um passeio de barco até a Península dos Pelicanos, onde existe um farol, uma fazenda de ostras e uma grande colônia de lobos marinhos. São tantos animais que alguns, já acostumados ao turismo, sobem a bordo do catamarã para dar boa vindas e ganhar alguns peixes. Os pelicanos, as baleias e os golfinhos também fazem parte desta animada visita.

Outro passeio bem procurado nesta região são os sobrevoos do deserto. A bordo de pequenos monomotores é possível sobrevoar as dunas, os canions e até a montanha mais alta do país, Brandsberg, com 2.572 metros de altura. A rota mais popular é a que segue para o sul, sobre voando o mar de dunas, os lagos de Sossusvlei e os famosos navios do deserto. São enormes embarcações que encalharam na costa a dezenas de anos e foram literalmente engolidas pelo deserto que avança sobre o mar. Outra opção, para os mais a aventureiros, é conhecer o deserto sobre potentes quadriciclo. Este passeio incrível percorre dunas e vales e além de emoção, oferece lindas paisagens. A cidade de Swakopmund, além de muito interessante, é também um marco geográfico importante da costa da Namíbia.

Ao sul deste ponto estão o litoral é coberto por grande dunas até o rio Orange, fronteira com a África do Sul. É a região de diamantes, com acesso restrito e controlado pelo governo. Ao norte da cidade, o litoral também é deserto, porém se diamante ou dunas. É a temida Costa dos Esqueletos, região que ganhou este nome por estar pontilhada por esqueletos de navios, baleias e até ossos humanos.  A nordeste desta temida costa, ficam os domínios da tribo Damara, região conhecida como Damaraland. É uma zona semiárida, conhecida pelas suas pinturas rupestres, bosques de árvores fossilizadas e principalmente pelos seus elefantes. Os elefantes do deserto fazem parte de um pequeno grupo que se adaptou a viver nestas difíceis condições.  Eles vivem nos leitos de seco dos rios, onde a água que ainda corre abaixo do solo, mantém viva árvores e arbustos.

Além dos Damara, outra tribo muito representativa no país são os Himba. Esta etnia habita no norte do pais e é conhecida por ainda viver da mesma maneira a centenas de anos. Os homens desta tribo são responsáveis pelo gado, sua maior riqueza. Eles ficam no campo boa parte do ano, deixando nas aldeias apenas as mulheres e crianças. As mulheres Himba cobrem seus corpos com uma mistura gordura e um pó ocre, tanto para se protegerem do sol, como para sua beleza. Os cabelos possuem apliques com pele de animal e também são cobertos pelo mesmo material. Elas cobrem apenas a parte inferior do corpo e usam muitos adornos e enfeites. São em geral muito simpáticas e gostam de receber visitam, pois aproveitam para vender seu artesanato e melhorar sua renda. Ao contrario de outra tribos, as mulheres Himba gostam de ser fotografadas, desde que possam ver o resultado na telas das câmeras.

Embora as tribos e as paisagens sejam um grande atrativo no país, muitos vem a Namíbia atrás de um bom safári. Na região norte e na franja nordeste, existem vários parques que reúnem milhares de animais. Um dos mais conhecidos é o Parque Nacional Etosha, uma das reservas mais antigas da África que possui hoje perto de 23 mil quilômetros quadrados. Esta reserva possui um grande quantidade de animais e algumas espécies bem interessantes como um raro antílope de cara negra. Cerca de 25% do parque é coberto por um grande lago salgado, que só acumula água durante a estação das chuvas.

Os animais da região dependem desta chuvas para sobreviver. Para enfrentar as temporadas de secas, o governo perfurou milhares de poços artesianos que alimentam pequenos lagos.  E é isto que torna este parque tão diferentes dos outros. No Etosha, para se observar os animais basta estacionar ao lado de um desde lagos, esperar e fotografar. É como se a arca de Noé abrisse as portas na sua frente. Animais de várias espécies bebendo da mesma fonte. Tudo junto e misturado, convivendo em uma frágil harmonia.

Dentro do parque existem alguns lodges pertencentes ao governo. Estes possuem seus próprios lagos, cercados de telas, onde os animais vem saciar a sua sede. Aqui,  os hospedes podem fazer safári sentados confortavelmente em frente a seus quartos, com todo o conforto e segurança.  Ao redor do parque, existem também algumas reservas privadas especializada em alguns tipos de animais . A reserva de Ongava, por exemplo, é conhecida por abrigar grandes famílias de rinocerontes e leões e oferece safaris bem interessantes.

Está é a Namíbia, um país perfeito para quem gosta de ver em uma só destino cultura, lindas paisagens e observar animais selvagens em seu ambiente natural. Talvez, o destino perfeito para suas próximas férias.

Peter Goldschmidt
* Peter é membro da Família Goldschmidt que desde 1999 viaja pelo mundo descobrindo e divulgando novos roteiros turísticos. É também diretor da agência de turismo Gold Trip – www.goldtrip.com.br  –   Fone: (11) 4411-8254

namibia (11) namibia (7)
namibia (10) namibia (12)
namibia (9) namibia (8)
namibia (6) namibia (5)
namibia (4) namibia (3)
namibia (1) namibia (2)

 

 

 

 

Página original: http://www.goldtrip.com.br/viaje-comigo-africa-namibia-1/