AONDE FAZER UM SAFÁRI NA ÁFRICA?

Se você vai visitar a África pela primeira vez, uma coisa é certa: você vai fazer uma SAFÁRI! A África é um continente impressionante, que tem grandes áreas selvagens, aonde elefantes, girafas, zebras e leões vivem livremente. Agora, resta a dúvida? Aonde fazer um safári na África? Leia Mais

Vídeos Tanzânia

A Tanzânia é um país incrível, abriga uma série de belezas naturais. Para os habitantes do local a vida é muito difícil, já que a economia do país gira principalmente em torna da agricultura de exportação. Mas apesar das dificuldades, o povo Tanzaniano sabe muito bem como receber o turista com simpatia e festa. Os vídeos Tanzânia mostram paisagens primorosas misturadas com a vivacidade dos animais que passeiam por seus campos.

 TANZÂNIA

Dicas para Tanzânia

Bandeira - ÁfricaIdioma: Suaili e Inglês.

Fuso horário: + 6 horas

Código telefônico: 255

Visto: Brasileiros precisam de visto. O Departamento de Serviços de Imigração da Tanzânia introduziu um novo procedimento de obtenção de vistos de entrada que requer que todos os visitantes preencham um formulário de solicitação de vistos na chegada ao ponto de entrada. Este é um novo procedimento, pois até pouco tempo, os visitantes obtinham e pagavam o visto ao chegar. Com o novo sistema, todos os visitantes que chegarem sem visto de entrada terão que preencher dois formulários de imigração – o Formulário de Declaração de Entrada e o novo Formulário de pedido de Visto. A taxa de visto tem um custo aproximado de USD 50. O passaporte deve estar válido por no mínimo 6 meses, e com pelo menos duas páginas em branco, lado a lado.

Vacina: É obrigatório apresentar o comprovante internacional de vacina contra febre amarela, tomada até 10 dias antes da viagem. Recomenda-se também que os visitantes sejam vacinados contra a Hepatite A e estejam com a vacinação contra poliomielite e tétano em dia (não é obrigatório, apenas recomendado).

Moeda: Xelim Tanzaniano. Todos os hotéis e bancos ao longo da rota aceitam e convertem dinheiro em espécie ou traveller checks para a moeda local. Os hotéis aceitam praticamente todos os cartões de crédito internacionais (Visa e Mastercard são os mais difundidos). Na Tanzânia somente são aceitos dólares americanos emitidos a partir de 2001 (não são aceitas notas antigas).

Como chegar na Tanzânia:

O mais comum é visitar a Tanzânia em um roteiro juntamente com o Quênia. A travessia da fronteira entre os dois países se dá na cidade de Namanga. Para viajar desde o Brasil, saindo de São Paulo, a Cia. Aérea South African Airways voa até a capital do Quênia – Nairobi – com escala na cidade sul africana de Johanesburgo, para continuar por via terrestre até a Tanzânia.

Tanzânia

Horários de Funcionamento:

Bancos abrem de 08h30 às 15h00 de segunda a sexta, e o comércio das 08h30 às 17h00 de segunda a sábado.

Transporte na Tanzânia :

Visitantes podem dirigir usando sua carteira de motorista internacional. Assim como no Quênia, usa-se a “mão inglesa”, ou seja,Tanzânia dirige-se pelo lado esquerdo da rua e a ultrapassagem é feita pela direita. As distâncias são medidas em quilômetros e o combustível usado é gasolina ou diesel. As condições das estradas são variáveis e podem ser muito pobres em áreas remotas. Dirigir à noite na maioria das áreas não é aconselhável.

O que vestir na Tanzânia:

Recomenda-se roupas leves e confortáveis, de manga longa no entardecer e à noite para se proteger dos insetos. Não se esqueça do agasalho para usar durante as noites. E não se esqueça de sempre conferir o clima do local antes. O calçado mais apropriado são botas de caminhada ou tênis confortáveis. Para as mulheres, é importante lembrar que há uma população mulçumana e, por isso, na cidade devem estar atentas a não usar roupas muito curtas e blusas cavadas. Leve também repelente, protetor solar, hidratante para os lábios, óculos de sol, lanterna, boné e lenços para o pescoço.

Água na Tanzânia:

Beba sempre água engarrafada ou fervida.

Compras na Tanzânia:

Entre os produtos locais que você pode adquirir estão pimentas e esculturas.

Comendo na Tanzânia:

Na Tanzânia você encontrará boa carne, massas e saladas. Os hotéis possuem bons restaurantes que oferecem um cardápio internacional. Há uma forte preferência por carne no interior (geralmente grelhada ou assada) e por peixes nas regiões costeiras. Entre as carnes mais raras estão a de gnu, antílope e búfalo; caso prefira as menos exóticas, você também encontrará carne bovina, de cordeiro, frango e porco. Os acompanhamentos geralmente são cozidos e principalmente arroz; alguns molhos levam curry ou coco, o que dá um sabor diferenciado.

Bagagem:

De acordo com o itinerário escolhido, pode haver limite na bagagem a ser transportada durante a excursão. Por isso, o mais conveniente é levar malas o mais leve possível e sem excessos. Muitos hotéis disponibilizam serviço de lavanderia, ou também oferecem maleiro onde você pode deixar parte da bagagem que não será utilizada e retirar na volta.

 Observação de vida animal e selvagem na Tanzânia:

Tanzânia

 

Não é permitido incomodar, alimentar ou fazer barulho para chamar a atenção dos animais, e também é perigoso tentar tocá-los. Durante os passeios nos safáris, não é permitido andar fora das dependências dos hotéis e, em alguns casos, é inclusive recomendável ser acompanhado por algum funcionário em alguns setores. É proibido se sentar no teto dos veículos e permanecer de pé enquanto o mesmo está em movimento. O uso do cinto de segurança é obrigatório.

Passeios na Tanzânia

Arusha:

Ponto de entrada e saída para os passeios na Tanzânia, esta cidade está localizada próxima da fronteira entre Quênia e Tanzânia. Arusha é a capital do safári no leste da África, uma cidade vibrante com ruas repletas de veículos 4×4. Guerreiros maasai cheios de insígnias passeiam pelas ruas, misturados com os turistas recém-chegados. Ali encontra-se o Centro Internacional de Conferência (International Conference Centre), onde os mais importantes tratados de paz e acordos da história da África foram assinados. Também é possível encontrar muitos mapas, livros e detalhes sobre os parques.

Serengeti:

Localizado na província de Mara, a 335 quilômetros de Arusha e na fronteira com o Quênia, é uma continuação do parque de Maasai Mara. A palavra “serengeti” tem sua origem na língua maasai e significa “planícies sem fim”. Possui uma população de animais selvagens de 3 milhões, e uma boa dica é visitar este local entre os meses de janeiro e fevereiro pois é a época ideal para observar a maior concentração deles, pois é quando os animais migram entre os parques de Masai Mara e Serengeti.

Tanzânia

Parque Nacional Tarangire:

Este parque possui uma densa população de animais selvagens e seu símbolo é o baobá, uma robusta árvore que cresce na terra Tanzâniadas acácias. Está localizado no norte da Tanzânia (fronteira com o Quênia) a 120 quilômetro de Arusha. O Tarangire é também um rico paraíso ornitológico.

Ngorongoro:

Esta cratera de um extinto vulcão transformou-se em 1981 em um santuário ecológico intocável. Seus 18 quilômetros de extensão compõe a sexta maior cratera do mundo, a qual abriga tribos de maasais e uma grande concentração de animais selvagens. Está a 310 quilômetros da cidade de Arusha.

Parque Nacional do Monte Kilimanjaro:

Este parque abriga o ponto mais alto do continente africano e está localizado perto da cidade de Moshi. Na base do monte, é possível escolher entre 6 rotas que levam até o pico Uruhu, seu ponto culminante (5.895 metros de altitude). Fazer esta subida é um verdadeiro passeio dos trópicos ao ártico, dada a mudança brusca de vegetação e de vida. Antes dos 2.700 metros a exuberante vegetação abriga espécies como elefantes, búfalos, leopardos, antílopes e primatas; mais para cima, a vegetação de montanha surge até os 4.000 metros, e a presença de vida limita-se a liquens.

Parque Nacional do Lago Manyara:

Neste lago vivem mais de 400 espécies de pássaros. A entrada está localizada a 126 quilômetros de Arusha, próxima ao mercado da cidade (Mto wa Mbu).

Tanzânia

Parque Nacional Gombe Stream:

(província Morogoro): Os chimpanzés são a principal atração deste parque, formado por uma magnífica floresta tropical que nasce do lago Tanganyika. Muitas outras espécies vivem ali, como o babuíno, o macaco vervet, o macaco vermelho colombus e o macaco azul; o parque também é lar de grande variedade de espécies de pássaros.

Parque Nacional Mikumi:

(província Morogoro): Este parque pode ser considerado “a África selvagem”. O acesso a ele é difícil, distante das principais Tanzâniaestradas. Possui planícies abertas e alagadas pelo Rio Mkata, com pântanos, sua principal característica. Fechado por árvores, colinas e montanhas, vale no mínimo 2 dias de visita. Ali você encontrará os “big five” (leão, elefante, búfalo, rinoceronte e leopardo).

Parque Nacional Mahale:

(província Morogoro): Um dos parques nacionais mais remotos e um dos mais bonitos da Tanzânia. A única maneira de explorá-lo é a pé e seu grande destaque são os chimpanzés.

Parque Nacional Ruaha:

(província Morogoro): Este é o segundo maior parque na Tanzânia e, por ser um dos parques menos acessados do país, é totalmente intocado. Um paraíso para os observadores de pássaros graças às 350 espécies que ali vivem, tudo isso em meio a um entorno natural onde o rio flui através de espetaculares cânions e majestosas árvores.

Zanzibar:

Localizado a poucos quilômetros do continente, Zanzibar é um arquipélago composto por inúmeras praias paradisíacas e rodeado por uma grande barreira de corais, perfeito para a prática de esportes aquáticos. Sua fauna compreende animais exóticos como antílopes e espécies endêmicas de borboletas. É importante evitar os meses de clima chuvoso, podendo assim observar melhor a vida animal.

Clima na Tanzânia

O Clima na Tanzânia é quente e agradável, e as temperaturas variam mais pela altitude do que pela estação do ano. A melhor época

Tanzâniapara visitá-la é entre junho e julho, quando não chove e as temperaturas são amenas. De fevereiro a maio caem chuvas fortes, as quais espantam os animais. Durante o dia a temperatura varia entre os 24 e 33 oC, e na cratera de Ngorongoto a temperatura pode chegar aos 4 oC à noite.

Em Zanzibar e nas ilhas da costa o clima é quente e úmido o ano todo, mas uma boa dica é evitar este destino nos meses de abril e maio, quando chega a estação chuvosa. Já o Monte Kilimanjaro pode ser escalado o ano todo, sendo os melhores meses janeiro, fevereiro e setembro, pois o clima é mais ameno e não há nuvens. Outubro é o mês certo se você procura menos pessoas escalando o Kilimanjaro; nessa época do ano há pouca (ou nenhuma) chuva e o clima na Tanzânia é mais ameno.

A grande migração de animais

Este grandioso espetáculo da natureza acontece do Serengeti (Tanzânia) para o Masai Mara (Quênia) de julho a outubro/meados de novembro. O movimento dos animais depende do período e da quantidade de chuvas e, por isso, é difícil defini-lo com precisão. O sentido da migração é inverso entre dezembro e março, então esta também é uma boa época para fazer passeios nos safáris.

Tanzânia


Médias Climáticas

Clima/Temperatura em Dar-es-Salaam, República Unida Da Tanzânia

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Nov

Dez

Precip.

79 mm

53 mm

132 mm

N/D

175 mm

43 mm

30 mm

28 mm

28 mm

66 mm

132 mm

117 mm

 

Destino Tanzânia

A Tanzânia, que compreende a República Unida de Tanganyika e a ilha de Zanzibar, está situada na costa leste da África, vizinha ao Quênia. Com uma população de aproximadamente 30 milhões de pessoas e mais de 120 grupos étnicos, possui uma história de séculos de migração e sua diversidade cultural e étnica é marca registrada do país, além da abundante diversidade natural e seu agradável clima.

O que mais impressiona o visitante que chega à Tanzânia é a sua enorme variedade e exuberância de paisagens dentro de um espaço territorial tão limitado: são várias áreas selvagens totalmente abertas, grandes lagos em meio à planícies, ilhas repletas de palmeiras cercadas por águas azuis-turquesa, vulcões e muitas espécies de animais. Tudo isso protegido por parques nacionais, reservas e áreas controladas que ocupam mais de 25% da área total do país. Dentre as atrações mais famosas, estão o Serengeti, a cratera de Ngorongoro, os Lagos Manyara e Vitória, além da mais alta montanha africana, o Monte Kilimanjaro (na fronteira com o Quênia), com 5.895 metros de altura. Estes locais servem de habitat a diversas espécies de animais, tais como elefantes, hipopótamos, búfalos, girafas, leopardos, leões, impalas e muitas aves. Sem duvidas é um ótimo passeio.

Tanzânia

Breve História

A Tanzania surge em 1964, formada pela Federação de Tanganyika e Zanzibar, áreas com histórias muito diferentes. Zanzibar, assim como outras ilhas do leste da África, serviu de base a mercadores árabes em seu comércio com os continentes. Mais tarde, com a divisão da África pelas potências européias, passa a ser protetorado britânico em 1890. Tanganyika, por sua vez, é uma área muitas vezes referida como “o berço da Humanidade”, por ser o lar de alguns dos mais antigos assentamentos humanos – foram encontrados ali ossos fósseis como o do “Paranthropus”, que se pensa ter mais de 2 milhões de anos. Habitado por diferentes tribos como chaaga e masaai, foi primeiro colônia alemã (1880 a 1919) e depois colônia britânica (1919 a 1961).

Pouco depois da independência, Tanganyika e Zanzibar fundiram-se para criar a nação da Tanzânia. Durante as décadas de 70 e início dos anos 80, os líderes da Tanzânia estavam na vanguarda dos movimentos de libertação africanos. O presidente Nyerere foi Tanzâniatambém um dos grandes representantes africanos nas negociações para acabar com o poder branco no Zimbabue. Embora ele sempre mantivesse boas relações com o Ocidente, a Tanzânia aproximou-se da filosofia do bloco comunista, onde a China foi uma grande ajuda para a economia do país. O regime de partido único chegou ao fim em 1995, ano em que se realizaram as primeiras eleições democráticas no país desde a década de 1970. O novo presidente – Benjamin Mkapa – estabeleceu a economia de livre mercado, mas enfrentou forte oposição por parte da burocracia estatal, que procurou manter o controle estatal sobre a economia. Em 2000, em um passo importante para a economia da Tanzânia (cuja dívida era de 4.500 milhões de dólares) o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial cancelaram parte da dívida, 2.000 milhões na época.

Alimentação na Tanzânia

A Tanzânia não é exatamente famosa por uma culinária exótica. Você vai encontrar boa carne, massas e saladas. Os hotéis têm bons restaurantes com cardápio internacional.

A gastronomia do país é representada por uma forte preferência por carne em zonas do interior, e peixes nas regiões costeiras. As carnes são geralmente grelhadas ou assadas. Entre as mais raras estão a de gnu, antílope e a de búfalo. Caso prefira carnes menos exóticas, você poderá encontrar carne de cordeiro, bovina, de frango e de porco. As carnes são geralmente acompanhadas de cozidos e principalmente arroz. Alguns molhos levam curry ou coco, o que dá um sabor diferenciado.

Por causa da grande influência islâmica, é bastante comum encontrar restaurantes e barracas de rua onde são vendidos “kebabs”, bastante temperados.

Frutas tropicais como manga, mamão, coco e banana são encontradas facilmente, e muitas vezes acompanham carnes e peixes.

Nas regiões costeiras, boas sugestões são os mariscos, lagosta (Zanzibar), ostras e camarões.

Uma boa dica é provar as cervejas locais (Kilimanjaro, Safari Larger ou Pilsner), os vinhos locais e o licor local “Konyagi”, um destilado de forte sabor.

Música e Artesanato na Tanzânia

TanzâniaO artesanato das diferentes tribos do país mistura-se também a produtos influenciados pelos estrangeiros chegados na era colonial. Você encontrará esculturas em madeira com forma de animais, ou representando as diferentes ações cotidianas das tribos. Também máscaras e bustos. Um destaque especial são as jóias feitas em madeiras nobres, ou com pedras preciosas e semipreciosas. Além disso, toneladas de pedra sabão e madeiras nobres são convertidas em estatuetas que representam desde a girafa mais real até o caçador mais absurdamente estilizado. Não espere por produtos eletrônicos.

As danças tribais são muito interessantes e, assim como o artesanato, normalmente representam diferentes momentos da vida cotidiana, cerimônias, caça, guerras etc.

Quênia, Tanzânia, Namíbia, Ruanda, Zimbábue, Zâmbia e Botsuana

A África é um continente cheio de diversidade. Cada país, cada região, tem sua própria cultura, língua e religião. Até os animais se comportam de maneira diferente de acordo com o clima e a vegetação que encontram. Visite os destinos Quênia, Tanzânia, Namíbia, Ruanda, Zimbábue, Zâmbia e Botsuana, e descubra em cada um deles uma África diferente.

 DSC02676-150x112Zimbábue

 Botsuana-Parque-N-Chobe-150x112Zâmbia e Botsuana

 IMG_3583-150x112Quênia

Serengeti-9-150x112
Tanzânia
    uma-familia-de-gorilas-150x112Gorilas de Ruanda namibia-miniatura-150x112Namíbia – Parte 1
 80-–-Namíbia-–-Parte-2Namíbia – Parte 2

 

Tanzânia

Karibu!  Seja bem- vindo!
A Tanzânia é um país incrível. Nos seus mais de 945 mil quilômetros quadrados o país abriga uma série de belezas naturais. Para os habitantes do local a vida é muito difícil, já que a economia do país gira principalmente em torna da agricultura de exportação.

Mas apesar das dificuldades, o povo Tanzaniano sabe muito bem como receber o turista com simpatia e festa. Desde o monte Kilimanjaro até o Serengueti, a Tanzânia mostra paisagens primorosas misturadas com a vivacidade dos animais que passeiam por seus campos. Viaje comigo e conheça mais esse destino incrível!

Lago Manyara

O Lago Manyara é parque nacional com 320 quilômetros quadrados de extensão. O lago é repleto de flamingos, mas não dá para chegar perto. Podemos vê-los de longe, tingindo as águas com suas plumas cor-de-rosa. O parque tem uma região de campo aberto, onde observamos antílopes, girafas, búfalos e muitas aves. Os babuínos estão em toda parte, inclusive nas estradas, sempre procurando comida. Cuidado com eles! Outra parte do parque é coberta por florestas, com árvores bem grandes, lar de várias manadas de elefantes. Vimos muitos filhotes. Procuramos durante um bom tempo os felinos do parque. Eles não são muitos, mas são especiais. Assim como no lago Nakuru no Quênia, os leões daqui tem o costume de dormir sobre as árvores. Infelizmente não tivemos sorte. Mas isto acontece. Afinal, os caçadores sempre chamaram os animais selvagens (a caça) de “Game”, que em inglês quer dizer “jogo”. Uma alusão a sorte que se precisar ter para encontrar os animais na selva. Um bom safári sempre depende de estar no lugar certo, na hora certa. Chegar cinco minutos antes ou depois faz toda a diferença. Mas já que estamos falando de safáris, deixe-me fazer outro comentário. Um safári nunca é igual ao outro. Mesmo que você veja os mesmos animais. Já fiz vários e posso dizer que cada um teve a sua singularidade. Os animais não são e não se comportam de forma igual. Cada dia é uma aventura diferente, uma surpresa, uma descoberta. Meu conselho é o seguinte: Se quer observar a natureza e conhecê-la de perto, quanto mais safáris melhor.

Cratera de Ngorongoro

Ngorongoro é a cratera de um vulcão extinto, localizada próxima ao Parque de Serengeti, no norte do país.  Tem um diâmetro de quase 20 quilômetros e está a 2.300 metros de altitude. Pertence a uma área de conservação e não possui nenhum assentamento humano no seu interior. Ngorongoro é um nome de origem Maasai e se refere ao chocalho carregado no pescoço por suas vacas. Há vários hotéis na região, todos construídos nas bordas da cratera. A depressão contém quatro ecossistemas diferentes e abriga dezenas de espécies. São cerca de 25 mil animais, grande parte deles mamíferos. É uma verdadeira arca de Noé. A cratera é também a maior concentração de felinos de toda África. Em Ngorogoro é possível encontrar os Big Five, os animais consagrados pelos antigos caçadores com os mais ferozes e corajosos. São eles: O leão, o leopardo, o hipopótamo, o búfalo e o rinoceronte.

Só a chegada à cratera já é um espetáculo digno de nota. Imagine olhar para dentro de um vulcão extinto e ver no seu interior campos coberto de relva, florestas, pântanos, rios e até um lago de sal. Tudo criando uma paisagem única e surreal. Fizemos um safári e vimos dezenas de animais com javalis, hipopótamos, avestruzes, antílopes, zebras e búfalos. No entanto, o nosso objetivo era ver os felinos e concentramos toda a nossa atenção em procurá-los. O primeiro que avistamos foi um grande leão caminhando perto de algumas zebras. Não parecia muito interessado nelas. Logo depois, vimos um jovem macho, dormindo na beira da estrada. Encontramos também duas famílias de hienas e um guepardo procurando uma oportunidade de caça. O ponto alto do safári chegou quando encontramos um grupo de cinco jovens leoas. Elas se aproximaram dos carros e se deitaram em sua sombra.  Ficaram ali vários minutos para o deleite de nossas câmeras. Depois, sem se importar com nossa presença,  elas seguiram pela estrada caminhando ao lado do nosso carro. Fiquei durante 15 minutos filmando a menos de um metro delas. Fiz lindas imagens e pude admirá-las com cuidado. Mas não era o fim. Logo elas avistaram um grupo de búfalos e começaram o ritual da caça. Entraram na relva alta, caminharam abaixadas até próximo da manada e… Atacaram. Houve muita correria e poeira. Os Búfalos lutaram bravamente investindo contra as atacantes. Elas tentavam separá-los para ter melhor chance, mas não conseguiram. Afinal, o Búfalo é um oponente que pode pesar até 800 quilos e tem chifres bem afiados. No final, as leoas cansadas deitaram na relva para recuperar as força e deixaram os búfalos se afastarem. Fiquei feliz pelos búfalos, triste pelas leoas e satisfeito com as filmagens. Foi um dia incrível e emocionante. Tenho certeza que a cratera de Ngorongoro é o melhor lugar da África para ver os felinos em ação. Se pudesse ficava mais um dia, mas tenho que partir amanhã. Então, já tenho uma boa razão para voltar.

Serengueti

O Parque Nacional Serengeti está localizado no norte do país e é gigantesco, com mais de 30 mil quilômetros quadrados e abrigando mais de 70 espécies de mamíferos. A viagem até ele pode ser feita de avião, desde Arusha, ou de carro. Esta segunda opção é bem cansativa, pois boa parte das estradas é de terra. São cinco horas desde o lago Manyara ou três desde Ngorongoro. Mesmo para se fazer os safáris dentro do parque anda-se muito, pois os animais se concentrar em diferentes zonas durante diferentes épocas do ano. O Serengeti ficou famoso por abrigar um dos mais impressionantes fenômenos da vida selvagem, a Migração Circular dos Gnus. Durante todo o ano, cerca de dois milhões de Gnus, acompanhados de zebras e Gazelas de Thompson percorrem as diversas áreas do parque em busca de água e pasto fresco. O movimento se faz em gigantescas manadas que se movem criando um espetáculo grandioso.  São poucos os lugares do mundo onde se podem observar tantos animais juntos. O ponto alto desta jornada acontece no final de Julho, quando as manadas atravessam os rio Mara em direção ao Quênia. Imagine milhares de animais saltando nas águas de um rio repleto de crocodilos e hipopótamos, lutando contra a correnteza e os predadores para chegar à outra margem. Milhares de pessoas de todas as partes do mundo vêm assistir a este espetáculo. Mesmo fora desta época, observar a grande migração no Quênia ou na Tanzânia é impressionante.

Por causa da migração o Serengeti é conhecido com um excelente lugar para observar os grandes felinos com o leão, o leopardo e o guepardo. Com tanta comida caminhando pelo parque, é lógico que os predadores vão se aproveitar. Não é difícil presenciar um momento de caça ou de alimentação. Mas há muitos outros animais para se ver no Serengeti. Além dos felinos, podemos observar girafas, javalis, elefantes, antílopes, chacais, avestruzes e muito mais. Mas é preciso ter paciência e rodar muito pelas estradas empoeiradas. Mas o preço vale a pena. Uma visita imperdível é a piscina de hipopótamos, uma curva de rio repleta destes animais gigantes e muito agressivos. Eles são os que mais matam pessoas na África. São muito territoriais e não gostam de nada nem ninguém entre eles e a sua piscina predileta. Neste local, é possível observá-los muito de perto sem correr nenhum risco. Mas é bom sempre ter cuidado.
Ficamos dois dias no Serengeti fazendo vários safáris e observando os animais de todas as maneiras possíveis. Saímos cansados, mas muito, muito felizes. Foi uma experiência diferente que recomendo para quem gosta da natureza.

A Tanzânia tem muito a oferecer, e para viver uma desses incríveis experiências basta entrar no site da Gold Trip e ver um dos roteiros que preparamos para você. Até mais!

Confira nossos Pacotes para Tanzânia e conheça este maravilhoso destino.


Peter Goldschmidt – Família Goldschmidt

Peter é membro da Família Goldschmidt e diretor-consultor de turismo da agência Gold Trip. www.goldtrip.com.br  //  www.familiagold.com.br

* Fotos: Família Goldschmidt e André Pereira
** Este diário refere-se a viagem da  Família Goldschmidt  ao Quênia em Junho 2011.

Página original: http://www.goldtrip.com.br/viaje-comigo-africa-tanzania/